Pequena Fé – Ansiedade

Viviane Freitas

  • 30
  • Dez
  • 2013

Pequena Fé – Ansiedade

  • 30
  • Dez
  • 2013

O que poderíamos referir como sendo “pequena fé”?


Através dos posts das próximas semanas, vamos dar-lhe tópicos do que Jesus falou sobre este assunto, e de como manifestamos essa pequena fé.

Infelizmente, as mulheres são mais emotivas do que os homens, e, precisamente, quanto mais necessidades temos, maior a tendência para sermos emotivas.

Hoje, aqui no blog, vai identificar a primeira característica que Jesus referiu, sobre alguém de pequena fé. Vamos saber qual é?

A primeira coisa, foi a ansiedade:

“Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que alimento, e o corpo, mais do que as vestes? …Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mt 6:30)

Esta primeira característica é a mais comum entre as mulheres. Quando tudo sai da ordem, surgem imprevistos ou novidades, que a fazem perder o controle da administração, logo a mulher começa a entrar em “parafuso”.

As necessidades, as exigências e os planos perdem o controle.

É aqui que mostramos quem temos sido no nosso relacionamento com Deus. É aqui que manifestamos que tipo de crença ou que tipo de relacionamento temos exercido com Deus. E, por aqui, muitas deixam a desejar na sua fé.

As necessidades, de ter pelo menos o mínimo, ou de ter aquilo que é justo, “gritam” mais do que a fé.

Nunca vou esquecer o que o Livro Casamento Blindado refere acerca das necessidades: Quando alguém tem as suas necessidade não supridas, vira o “bicho”. O homem fica nervoso e a mulher fica super ansiosa, preocupada com o dia de amanhã. Perde até o sono com tal preocupação. E a sua vida vira um inferno devido à necessidade.

Quando vem a necessidade, vem o desespero.

Mas então… Onde entra a fé? E quando manifestaremos a fé?

Vem quando você raciocina!
Quando avalia o que tem aprendido, exigindo prática da sua parte, e crença, que aquilo é o melhor para si.

Veja o que Jesus disse:

“Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai Celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário…”
(Mt.6:26-28)

A fé inteligente ensina-nos a pensar, a observar o que Deus faz e não o que a necessidade apresenta. Não foi isso que Jesus disse? “Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai Celeste as sustenta.”

Que linda é a fé!
A fé exige crença e dependência d’Ele. E ação sobre a crença!

Minha amiga leitora, não sei qual é a sua necessidade do momento, mas sei que esta a pode tornar contrária a Deus, e irracional.

Irracional porquê?
Porque quando se baseia nas necessidades, ou naquilo que sente, a ansiedade toma conta das suas emoções e impede-a de materializar a fé!

Como faço, então?
Observe o que Deus faz e não as suas emoções.

No próximo post, darei continuidade ao que você deve dar atenção.