Obreira, que tipo de testemunha você é?

Luisa Teixeira

  • 2
  • Jan
  • 2014

Obreira, que tipo de testemunha você é?

  • 2
  • Jan
  • 2014

Entramos em mais um ano e não vamos baixar armas, no que toca à nossa vida espiritual, pois nesse campo, todo o cuidado é pouco. Não podemos, de forma alguma, estagnar.


Muito pelo contrário! Devemos sim, iniciar mais um ano perseguindo e eliminando os nossos inimigos da fé, que nada mais são do que os próprios sentimentos.

Este é o meu objectivo, e você está comigo?

Prosseguindo ainda no que diz respeito às coisas que aborrecem a Deus, hoje tocamos num tema muito sério e profundo, que é a testemunha falsa que profere mentiras. Digamos que é praticamente dois em um. É falsa e ainda por cima mente. Completamente ao contrário do que é verdadeiro. Na realidade, quem é falso, naturalmente mente, e já quem é verdadeiro, profere a verdade… doa a quem doer! Ainda que doa a si própria, não volta atrás, como de forma vergonhosa muitos o fazem, com a maior das naturalidades.

Não tapemos os olhos e sejamos frontais: Será que não está a ser essa testemunha falsa e que profere mentiras? Será que não está a desagradar a Deus com tal procedimento?

Talvez assim, de forma impensada, logo responda que não. No entanto, vou deixar alguns exemplos de como pode estar a ser essa testemunha:

– Quando presencia algo sério e grave, e não fala a verdade, antes esconde, por medo das represálias;
– Quando, para agradar, diz que está tudo bem, quando na verdade está mal, porque não quer dar parte fraca, ou não quer ficar mal vista;
– Quando lhe pedem opinião sobre um determinado assunto, e não é transparente, pois pensa que não vai ser entendida;
– Quando é interesseira, e faz de tudo para aparecer e, no fundo, não é nada daquilo que faz ou apresenta.

Lembre-se que esse comportamento procede do maligno. Quando age dessa forma está a aborrecer a Deus.
Na realidade, há um preço alto, que poucos estão dispostos a pagar.

Que neste novo ano, você possa ser uma testemunha verdadeira, que assuma esse compromisso de sempre falar a verdade, em toda e qualquer circunstância.

Para 2014 ser um ano novo, depende das suas atitudes de fé inteligente e não apenas de desejos que por vezes são fortes, mas passam depressa, como nuvens passageiras.

Pense nisso! E diga o que pensa registando a sua opinião.