Obreira furacão

Luisa Teixeira

  • 28
  • Ago
  • 2014

Obreira furacão

  • 28
  • Ago
  • 2014

Hoje vou apresentar-lhe a obreira furacão. Já a conhece? Sabe como ela procede?


Não são poucas as obreiras que, na igreja, são ‘pau para toda a obra’. Sempre dispostas a fazer tudo, com toda a simpatia e boa palavra, atendem a todas as necessidades. Para o pastor, sempre têm uma palavra mansa e positiva. Quando chamadas para fazer algo, respondem com prontidão e apresentam-se com um semblante angelical.

Muitas revelam essa disposição de servir dentro da igreja, porque são reconhecidas e até elogiadas, através das suas “obras”.

No entanto, quando vamos perceber a fundo o seu viver, passamos a ter conhecimento de uma pessoa que em nada é testemunho.

Dentro de suas casas têm um comportamento totalmente diferenciado, pois não têm os mesmos olhos para com a família. São amargas, têm palavras ríspidas. Não dão a devida atenção, muito impacientes. Chegam cansadas e fechadas, revelando-se um autêntico ‘furacão’ que, com as próprias mãos, destroem o seu lar. Infelizmente, têm dificuldade em ver a família como um bem precioso de Deus, a quem devem prestar honra.

Talvez diga: “Mas Luisa, não é fácil chegar a casa e sempre ver o meu familiar a zombar de mim’e da minha fé, ou então, a dizer coisas difíceis de se ouvir”. Sim! É verdade, não é fácil… mas o caminho não é o confronto e nem a indiferença. Essas não são as armas eficazes, muito pelo contrário, são verdadeiras armas mortíferas e que, supostamente, vacinam os seus familiares contra Deus.

A nossa guerra é constante e exige que estejamos atentas. Por mais difícil que seja chegar a casa e ver esse quadro, tem que ser forte para ‘crucificar’ o seu ‘eu’. Saiba que o seu procedimento fala mais que mil palavras.

Esse é o retrato do seu viver? Então, parta para a mudança. Reconheça o seu estado e não deixe que essa situação permaneça! Lembre-se que, se não honra a quem vê, como vai honrar a Quem não vê?

O que tem a dizer-me acerca deste assunto?