Te Fazer Um Líder

Silvia Alvarenga

  • 4
  • Jul
  • 2012

Te Fazer Um Líder

  • 4
  • Jul
  • 2012

Após Deus pedir ou requerer algo a Abrão, Ele faz a promessa:

“E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.” (Gn. 12:2)

A condição para ouvir a promessa: Ouvir o que é necessário fazer, antes de a obter.

Porquê?

Para que não fique na expectativa de uma emoção; em apenas receber.

Para se receber, há que provar o que se dará. E essa prova revelará para o indivíduo quem sou e não o que eu digo ser ou sonho obter.

E para ser um líder espiritual, tem que se aprender a ser líder da própria vida antes de mais nada.

Veja se Deus dizia a Abrão para fazer alguma coisa referente às pessoas? Mudá-las? Tirá-las da terra? Não!

Não, não é!

Deus falou exclusivamente a Abrão porque ele materializou com atitudes uma verdade em que ele acreditou: Ser fiel à única esposa por sua própria decisão.

Abrão poderia, mesmo assim, aproveitar a esterilidade da sua mulher para se entregar a outras, porém, mesmo perante essas condições, ele aceitou levar consigo a dor de não ter o seu próprio filho. Preferiu isso, a tirar vantagem com outras mulheres, para apenas praticar um costume ao qual ele mesmo não aceitou sujeitar-se. Algo que para ele, em particular, era injusto.

Quando Deus fala a alguém, é porque ela mesma escolheu não sujeitar a sua dor em troca da recompensa de apenas um desejo. Mostrando assim a sua preferência em ser justa por aquilo que é correto e que lhe faz bem.

E foi nessas condições que Deus se fez presente na vida de Abrão: A entrega, não às suas emoções e sim à sua inteligência.

Então… Deus investiu nele.

Para se investir, não é propriamente em muitas coisas ou na sua necessidade, e sim na raiz de onde fluem todas as coisas.

Deus requereu aquilo que Abrão precisava fazer na sua própria vida. E Deus o disse porque ele se destacou e porque era capaz de ouvir.

Então… a promessa é para aqueles que se fazem capazes de renunciar e sacrificar.

Não espere uma “mágica” na sua vida; de Deus fazer tudo por si. Há que existir entrega.

E para se entregar, há necessidade de explorar o mundo no qual se vive.

Que mundo?

O mundo que você desconhece a seu respeito.
O mundo a que você se habituou e acha natural viver.

Para explorar, é necessário descobrir e firmar-se naquilo que você está definido e crer, mesmo que sinta dores pela ausência disso para obter o que lhe será garantido – que é uma vida inteligente.