Quarentena – 17º dia

Viviane Freitas

  • 8
  • Jan
  • 2013

Quarentena – 17º dia

  • 8
  • Jan
  • 2013

“Deus precisa de tempo para trabalhar em nós. Devemos dar-Lhe espaço, sem ansiedade, preocupação ou dúvida.”
Viviane Freitas

“Maria permaneceu cerca de três meses com Isabel e voltou para casa.
A Isabel cumpriu-se o tempo de dar à luz, e teve um filho.
Ouviram os seus vizinhos e parentes que o Senhor usara de grande misericórdia para com ela e participaram do seu regozijo.
Sucedeu que, no oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias.
De modo nenhum! Respondeu sua mãe. Pelo contrário, ele deve ser chamado João.”
(Lc.1:56-60)

Tudo na vida tem um tempo; não é de qualquer forma; do meu jeito… ou do seu jeito!

Existe um tempo…

O próprio Deus viu que, mesmo com o desejo de ver o filho, Isabel não se precipitou em reduzir o tempo. Teve que aguardar, à semelhança das demais grávidas.

A maioria das mulheres revelam-se ansiosas e precipitadas, e esta condição, fá-las ser fracas na fé; frágeis e desconfiadas…

Porque a crença em Deus está associada à paz; à confiança; à certeza!

Não tem nada a ver com a ansiedade. É exatamente o oposto.

Quando a pessoa crê, sabe esperar o tempo certo; o tempo de Deus!

A crença é algo definido. Todas as vezes que existe indefinição, há fraqueza na fé e perigo de “queda”.

Os sentimentos são uma poderosa arma contra a própria pessoa!

“Ouviram os seus vizinhos e parentes que o Senhor usara de grande misericórdia para com ela e participaram do seu regozijo.”

Quando se trata de algo normal, não há grande regozijo, mas quando existe dificuldade, desafio ou impossibilidade, e o milagre acontece, as pessoas regozijam-se, juntamente connosco.

Você até pode pensar que a sua vida muda de um dia para o outro; que, eventualmente, porque participa na Quarentena, já está transformada…

Mas não é isso que acontece!

A Quarentena está a abrir a sua mente; a purificar as ideias fixas, geradas pelo seu sentimento. Está a dar direção e a transmitir-lhe a Verdade.

E, quando encontramos um problema, sentimo-nos felizes, não por causa do problema, mas porque conseguimos “enxergar”!

Existe um tempo, amiga.

Esta Quarentena é uma semente…

Você aprende a “pensar”; a avaliar a si própria; não mais vai confiar nos seus sentimentos; estará mais alerta e valorizará mais a própria Palavra de Deus.

“De modo nenhum! Respondeu sua mãe…”

O óbvio seria a criança chamar-se de Zacarias. Mas, quando há algo definido; uma crença; uma verdade, então, ainda que ouça os demais, com palavras e sugestões, isso não a seduz.

Muitas pessoas, sugerindo sobre a sua vida, fazem-na balançar…

E o questionar contínuo, revelando indefinição, mesmo nas coisas mais simples da vida, tornam a pessoa vulnerável; fraca… que não sabe o que quer.

Você não pode esperar que as pessoas lhe transmitam uma definição. Deve ser definida por si mesma!

E como fazê-lo?

Quando olha para o seu alvo!

Quando se questiona: “O que eu quero?” E fala diretamente com Deus, quanto ao que é necessário para o alcançar.

Vemos, muitas vezes, pessoas fracas, infantis, que transmitem uma insegurança.

Tentaram persuadir Isabel… a fim de desistir da sua crença.

Mas vemos, por parte dela, uma crença total; uma obediência, que lhe permitiu ser definida até ao final!

E ela não ficou preocupada com os pensamentos alheios.

O tempo torna-se o inimigo nº1 das pessoas ansiosas.

Ou guardamos o que os outros pensam de nós, ou a certeza que está no nosso interior. E temos que ser bem claras no que queremos.

Temos que ser definidas em tudo na vida.

Avalie… Olhe para dentro de si e veja como reage perante as circunstâncias: Se está ligada com Deus ou nos sentimentos.

A quem vai ouvir? O que vai guardar?

Quais as palavras que saem da sua boca? Definição ou preocupação?