Eu casei com uma “Sister”…

Viviane Freitas

  • 11
  • Mar
  • 2013

Eu casei com uma “Sister”…

  • 11
  • Mar
  • 2013

Ontem dei por mim a agradecer a Deus por ser feliz. “Que coisa…” pensei.


Num mundo em que tal parece utopia, esta alegria invadiu o meu coração.

Tive, simplesmente, que Lhe agradecer! Fi-lo em consciência, e a seguir pensei que milhões de seres humanos não podem dizer o mesmo.

Casei com uma linda Mulher que pertence ao Godllywood. É uma Sister. Na verdade pouco sabia sobre este profundo e abençoado trabalho. Mal sabia eu que me iria ser tão próximo.

Tenho uma actividade profissional muito intensa e desgastante o que me faz esquecer algumas coisas importantes da vida e dar-lhes o devido valor. Mas isto um dia mudou, ou melhor, continua a mudar.

Pois bem, em breves palavras vou contar, na primeira pessoa, como é estar casado com uma Sister.

Quem conhece um pouco deste trabalho sabe que estas Mulheres não têm tempo livre, antes gastam-no em favor dos outros, de outras Mulheres que precisam de ajuda e não têm encontrado apoio em nenhum outro lugar.

Quem, como eu, com uma vida atarefadíssima, casa com outra pessoa, procura um apoio, uma ajuda, uma “outra metade” com uma vida mais calma que compense a vida que leva.

Não é assim, se casar com uma Sister… e ainda bem que não.

No princípio disse a mim mesmo: “Mas ela não vai aguentar este ritmo…; tão pouco me vai ajudar na casa, nas refeições, na roupa…” Eis quando ela, quase como quem adivinha, me diz: “Calma meu Amor, eu estou aqui.” E, desde então:

[heartlist]

  • A paz dela apazigua a minha azáfama;
  • A meiguice dela transforma a minha ânsia;
  • A educação com que trata o próximo deixa-me seguro;
  • A beleza dela afasta a minha face mais rude;
  • A simplicidade dela está muito acima de qualquer tesouro;
  • O toque que deixa na minha roupa é único;
  • A forma como veste e trata do cabelo faz de mim um homem realizado;
  • O cuidado com que trata da nossa casa ou prepara uma refeição é sublime;
  • A sua oração une-se com a minha, tornando-nos um;
  • Enfim, ela faz tudo acontecer… e isto quando parecia que não ia ter tempo…

[/heartlist]

Nos meus poucos tempos livres, dou por mim a ajudá-la nas tarefas do Godllywood. Quando ela não pode estar comigo, eu não estou só. Sinto-me realizado, porque posso proporcionar-lhe tempo para alcançar pessoas perdidas, já que a minha vida profissional não o permite. O que posso querer mais?

Sou um “felizardo”, não porque tenho o melhor de dois mundos, mas porque tenho as duas melhores coisas do Universo: Deus e uma Mulher, segundo o coração de Deus.