Silvia Alvarenga

  • 3
  • Ago
  • 2010

Encontro com a Pérola

  • 3
  • Ago
  • 2010
Decidi marcar um almoço, com quem eu estava decidida a cuidar. Não sabia realmente como chegaria a tal pessoa porque, para mim, ela demonstrava ter um estilo, e eu não sabia como alcançá-la. Não dei atenção aos meus pensamentos, parti para o desafio, ignorei as minhas “conclusões” e arrisquei.

Saímos juntas e almoçamos. Fomos as primeiras a entrar no restaurante e as últimas a sair. Falei com ela, passo a passo, o que ela deveria fazer. Mas não falei nada que me fizesse ser agradável para ela. Falei somente verdades.

— Sei que ainda não existia nenhuma amizade, para ter tal ousadia, mas era o único meio de obter um resultado. Ou ela me ignorava para sempre, ou mudaria de vez —
No transcurso da minha conversa com ela, existia uma paz tão forte, sabia que não estava falando sozinha. O olhar dela de esperança e de certeza, trouxe mais e mais confirmação às palavras que saíam da minha boca. Estava lhe mostrando uma direção. Parecia que ela estava vendo uma luz no fim do túnel. O rosto dela não transparecia mais aquele mesmo sofrimento de antes.
Conversamos, e tudo que eu falei para ela fazer, ela começou a fazer. Não resistiu nem um pouco. Aceitou de coração aberto.
Eu sai dali maravilhada, porque foi uma experiência muito marcante. Existia uma alegria imensa. Até hoje comentamos aquele dia, que foi muito especial.
Ela começou a participar das reuniões de uma maneira diferente. Tive que ensiná-la passo a passo. Foi muito bacana, porque ela recebeu-me de braços aberto.
Eu vi uma amiga. Eu enxerguei a beleza que muitas pessoas não viam. Eu vi um tesouro. Uma pérola. Mesmo que a vida tinha sido dura com ela, e as suas atitudes estavam erradas, à partir do momento em que ela soube da verdade, ela abraçou e amou.
No próximo blog contarei mais sobre a beleza da pérola!