A vida de Jacó – 10º dia

Viviane Freitas

  • 4
  • Jul
  • 2013

A vida de Jacó – 10º dia

  • 4
  • Jul
  • 2013

Olá a todos. Continuando a falar sobre a vida de Jacó, hoje já é o 10º Dia, e o seu comentário é muito importante, sobretudo para que se avalie.
Gostaria que tirasse proveito de cada mensagem, para que reflita, e não apenas refira a história, sobre a qual meditamos.

“Disse Rebeca a Isaque: Aborrecida estou da minha vida, por causa das filhas de Hete; se Jacó tomar esposa dentre as filhas de Hete, tais como estas, as filhas desta terra, de que me servirá a vida?” (Gn.27:46)

10º Dia – Resolver problemas

Entendo exatamente Rebeca, no sentido de querer evitar que Jacó casasse com as filhas de Hete, pois Esaú já era casado com duas mulheres desse povo, o que se tornara uma amargura para os seus pais.
Então, como Rebeca vivia de circunstâncias, se Jacó casasse com uma dessas mulheres, para ela, a sua vida acabaria.

Tudo na vida de Rebeca tinha a influência do exterior, e as suas atitudes refletiam-se na resolução dos problemas por ela própria. Recorre ao engano, ao marido, mas não a vemos a falar com Deus e a recorrer a Ele.

Como muitas pessoas, hoje, assistem a testemunhos, dos quais não tiram proveito e continuam a reagir de uma forma emotiva. Ao invés de resolver o problema do seu interior, com Deus, reagem na emoção. Batem palmas, mas não dizem: “Agora é a minha vez!; A minha oportunidade de sacrificar, subir ao altar e falar das maravilhas que Deus fez na minha vida.”

Não condeno Rebeca, porque não sou perfeita, mas vejo um erro gravíssimo, o qual temos de avaliar, pois somos mulheres e, por isso, dadas a sentimentos. Não é porque somos de Deus e da fé, que não sentimos, mas por aqui se revela o nosso temor e entrega; faz-se a separação, de quem é quem.

Às vezes, criamos uma “tempestade” por causa de um problema, mas não adianta! O que vai resolver é que faça uso do mesmo para materializar a sua fé; a sua crença.

Exercite a fé nesse Deus pelo Qual vai à Igreja e ouve a Palavra. É para exterminar o problema, e não para ficar desesperada, desacreditada, ou, sequer, levá-lo adiante, para outra pessoa sentir por si; ficar na dependência que alguém o resolva em seu lugar.

Rebeca, Esaú, Jacó, estavam dentro da Igreja e tiveram o exemplo de Abrão e Isaque. Eles tinham conhecimento de quem era Deus através do exemplo dos patriarcas, mas só houve uma transformação, quando Jacó quis a prática do que ouvira, na sua própria vida.

E você, dentro da Igreja, deve usar a fé racional, pois a consciência não resolve o problema, mas sim a prática. Quando a pessoa sacrifica para o Deus vivo, e não em prol dos seus instintos, torna-se a própria bênção.

Jacó foi sacrificado pelas suas atitudes, pois quis fazer à sua maneira, e Rebeca também. Cada um de nós, ou seremos sacrificados, ou sacrificaremos para Deus. A escolha é nossa!

Ficamos por aqui, e amanhã estaremos de volta, falando sobre a vida de Jacó.