Obreira: Obreira, qual é a sua parte?

Luisa Teixeira

  • 25
  • Set
  • 2014

Obreira : Obreira, qual é a sua parte?

  • 25
  • Set
  • 2014

No artigo da semana passada ficou bastante enfatizada a dependência de Deus e, realmente, esta é primordial para que a nossa vida seja totalmente guiada por Ele.


De facto, nós que fazemos a Obra de Deus, não podemos, de forma alguma, fazê-la na força do nosso braço, pois se assim for, o nosso trabalho será em vão.

Essas não são as minhas palavras, mas está escrito: “Se o senhor não edificar a casa em vão trabalham os que a edificam…”.

No entanto, importa deixar bem claro que se ficarmos de braços cruzados, à espera que chegue a hora certa para agir, ou então, debruçadas na ideia de que estamos na dependência de Deus, e que é Ele que faz tudo, a nossa entrega será sempre frouxa e sem expressão. Não nos podemos esquecer que Deus só faz a Sua parte, quando termina a nossa!

E qual é a sua parte?

[diamondlist]

  • É ir para o terreno;
  • Mesmo que as pessoas não se cheguem a si, é ir de encontro às mesmas;
  • É não ficar à espera que seja o pastor a atender as pessoas pela primeira vez;
  • É ser auxiliadora do seu pastor, no que toca ao atendimento;
  • É observar como as pessoas se entregam para Deus;
  • É reparar no estado de cada pessoa;

[/diamondlist]
 
Vou ser bem verdadeira consigo: se não existe esse fogo dentro de si, então é porque já está a viver num estado de mornidão. Vamos ser sinceras, minhas companheiras de guerra, se você é um tipo de obreira que não se entrega pelo povo, então está literalmente distante de Deus.

Lembre-se que o povo representa Deus, e se não há esse interesse dentro de si de ganhar essas vidas que estão perdidas, então posso concluir que é uma obreira que apenas veste o uniforme e que tem um título. Talvez diga, como já ouvi dizer, que as palavras mencionadas nos artigos das obreiras são muito cortantes: “Ah Luisa, essas palavras não me edificam”. Não edificam porque no fundo, no fundo, o que pretende ouvir é algo que a mantenha na sua zona de conforto. Não é isso que Deus quer para a sua vida, mas sim, que a chama do primeiro amor esteja em evidência dentro de si, com intuito de fazer um estrago no inferno.

Vamos arregaçar as mangas e agir a Fé inteligente. O que me diz? Vai ser essa obreira que fará a sua parte diante de Deus?

Registe o seu comentário, pois terei o prazer de ler.