Vontade de Fugir

Viviane Freitas

  • 25
  • Jan
  • 2014

Vontade de Fugir

  • 25
  • Jan
  • 2014

Isso acontece com todo ser humano: por mais capaz, preparado ou valente que seja, em algum momento da nossa vida, nos deparamos com situações em que não há como voltar atrás ou procurar “dar um jeitinho”. Ou você enfrenta ou foge!

O interessante é que já existe dentro de nós este instinto: Desde criança não queremos enfrentar o problema como ele realmente é.

Quando pequenos, se quebrávamos algo, ou se fazíamos qualquer travessura, qual era a nossa reação instantânea? Se esconder! Porquê não queríamos enfrentar a surra que viria depois de descoberta a “arte”.

Sabe o que eu fiz? Um dia, depois de uma briga com meus irmãos, arrumei em uma sacola algumas peças de roupa, e fui embora de casa! Com apenas 8 anos, eu já encarava toda aquela situação de separação e brigas dentro de casa como uma dificuldade insuperável.

Os anos passam, crescemos, e o que continuamos fazendo? “Fugindo de casa”. Agora você já não se esconde embaixo da cama, ou prepara sua trouxinha e foge para a rua, mas finge que ele, o problema, não existe.

Primeiro ignora a gravidade da situação e até chega ao cúmulo de conviver com ele debaixo do mesmo teto, como se em algum momento da vida ele fosse desaparecer, por uma mágica. É isso também não é um tipo de fuga?

Alguns sedam suas mentes, outros criam um mundo de fantasias (já ouviu falar do Escapismo?) ou acabam matando todos seus objetivos, e resolvem dar cabo da própria vida.

Como profunda conhecedora de técnicas de fuga, posso te dizer: Nada disso resolve! Você pode mudar de país, de continente, de sexo, pode até mudar de identidade – isso te dará um alívio – sim, você poderá respirar aliviada….por alguns instantes! Sinceramente, o problema voltará. E cada vez parecerá mais forte, mas impossível, até que dominará por completo sua vida.

Cada vez que você foge, ele vai junto, por que foi ele que acabou se escondendo dentro de você.

Como superar? Eu já fui derrotada muitas vezes, eu mesma me intitulava “A Fracassada”, a ponto de não suportar me olhar no espelho. Quando parei de fugir e resolvi encarar quem eu era – encarei de frente o meu maior inimigo – eu pude encontrar a pessoa que Deus quer que eu seja.

Sigo “em construção” mas a principal conquista é a certeza de que um dia O conhecerei como sou conhecida 🙂