Trabalhou demais?

Viviane Freitas

  • 22
  • Dez
  • 2010

Trabalhou demais?

  • 22
  • Dez
  • 2010

Uma colega passou para outro departamento, não colocaram ninguém para substituir e os prazos continuam “para ontém”. Saiba como lidar com esta situação.

Quando não se pode tirar o peso dos ombros, a solução é encontrar estratégias para aprender a trabalhar melhor.

Abra o jogo – Trabalho tem limites. Se já tem mais peso do que consegue carregar, converse. Às vezes, sofrer em silêncio não compensa. Mas em vez de ficar a andar de um lado para o outro coçando a cabeça, estabeleça logo aquilo que pode e não pode fazer.

Faça uma lista do que é prioritário – Isto é daquelas coisas que se aconselha sempre e que ninguém faz, o que é uma pena, porque ajuda de facto a pôr a cabeça em ordem. Em vez de andar a correr de umas coisas para as outras, concentre-se: comece e acabe cada coisa. Não temos cem braços como a centopeia.

Fique fria – Mantenha a calma e o bom humor.  Invés de pensar que tem uma data de coisas para fazer, não pense. Faça. Quanto mais depressa deitar mãos à obra, mais depressa ficará livre dela. Não desperdice energia a lamentar e que tem muita coisa para fazer. E não deixe que o trabalho potencie aquilo que você tem de pior.

Aprenda coisas novas – Se calhar, há formas de fazer as coisas mais rapidamente se as fizer de outra maneira. Peça conselhos, aprenda técnicas novas, investigue se não há uma forma mais rápida de trabalhar (não, pôr outra pessoa a fazer o seu trabalho não conta). Às vezes, há novas tecnologias muito fáceis de aprender e novos hábitos que só não usamos por preguiça ou por medo.

Faça exercício – O quê, com tudo o que falta fazer? A verdade é que se trabalha melhor depois de gastar todas as energias e descansar a cabeça… Se está num daqueles dias em que nem sequer pode respirar, que tal ir à ginástica, dar uns pulos e voltar?

Descanse – Você está estoirada mas os amigos insistem para ir sair? Às vezes, mais vale ficar em casa no sofá a comer pizza e a ver a telenovela… Separe um fim-de-semana para sair com os amigos.

Não habitue mal – Bons hábitos criam-se desde o início. Se desde o primeiro dia em que se sentou à secretária habituou os outros a pensarem em si como na super-mulher, é cada vez mais complicado desabituá-los. Se entrou às 9 e saiu às 9 todos os dias da sua vida, agora arrisca-se a ouvir: “Já vai embora? “. Mesmo assim, não desista.

Peça ajuda – Para que é que há-de fazer tudo sozinha? Se há outras pessoas à volta e não estão igualmente sobrecarregadas, distribua trabalho. Claro que se foi o seu chefe a delegar-lhe as tarefas, fale com ele e pergunte-lhe se pode passar uma ou outra aos seus colegas. Claro que não é pôr os outros a fazer aquilo que tem de fazer, mas às vezes há pessoas que estão ali para ajudar e nós nem reparamos…. Não há coisa nenhuma? Então olhe, respire fundo e meta mãos à obra, mesmo sozinha.

Defenda os seus direitos – Se faz tudo muito caladinha sem protestar, pode ser que lhe estejam a dar mais do que consegue fazer sem que ninguém a não ser você dê por isso…

Seja simpática – O nosso humor influencia o do resto do mundo: não contribua para a nuvem negra. É que além do buraco do ozono também existe o buraco da simpatia, que ainda é maior… Se, de cada vez que alguém se aproximar de si, levar com umas sobrancelhas cerradas, olhos que deitam faíscas e um ar geral de tempestade, acha que os outros vão ficar sensibilizados com os seus dramas, perceber que você está cheia de trabalho e decidir enchê-la de mimo? Errado.

Faça planos de férias – Mas ainda agora veio de férias…? Não faz mal. Faça na mesma, para as férias de Natal, para o próximo Verão ou para o próximo fim-de- semana. Há imensas escapadinhas que se podem fazer em dois dias, e de qualquer maneira, sonhar ainda é das diversões mais baratas que existem.

Trabalha demais se …

– Não tem tempo para a família, os amigos e os filhos.

– Não tem tempo para ir ao cinema, passear ou ver a telenovela.

– Não consegue deixar de pensar no trabalho mesmo quando está em casa.

– Quando olha para a sua vida na semana passada, só consegue ver-se a trabalhar.

– Sonha várias vezes em desaparecer da sua vida normal e aparecer noutro sítio.

– Só deseja comer coisas doces e calóricas, como compensação.

– Acha que o mundo está todo contra si.

– Zanga-se por coisas insignificantes.

Fonte: Revista activa