Segurança e Verdade

Viviane Freitas

  • 26
  • Out
  • 2012

Segurança e Verdade

  • 26
  • Out
  • 2012

“Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.” (At 2:36)

Pedro, seguro e audacioso, disse no seco e na “cara de pau”: Este Jesus, que vós crucificastes…

Não temeu o que haveria de suceder.

Eles encontravam-se em Jerusalém, onde o foco da perseguição estava em alta. Mas, mesmo assim, insistiu naquilo que cria, e que realmente era, e é… A verdade.

Não se calou diante da afronta e do julgamento impróprio. Não permitiu ser ultrajado. Falou seguro e confiante.

Nada de medo. Nada de insegurança.

Lembre-se que os discípulos, estavam agora a substituir o Senhor Jesus para os que desejavam segui-Lo. Mas, ainda assim, não se intimidavam, e nem se comparavam a Ele.

Normalmente, a insegurança surge, porque a pessoa frequentemente se compara com atitudes de outros, e a sua admiração, por estes, fá-la diminuir-se e sentir-se incapaz.

Mas Pedro… Ousado, confiante e seguro, falava a verdade abertamente. Não usava meios termos, ou dava um “jeitinho” para minimizar a verdade.

A verdade é isso, e ponto final! Não há lero lero.

Veja a afirmação que Pedro ousou proferir: “Que vós crucificastes”.

Meu Deus! Para muitos crentes… isto é um desrespeito; a verdade é uma agressão e ficam indignados em ouvi-la, porque preferem o “carinho” no seu ego ou um termo mais suave.

Mas, para haver uma libertação das ideias ou atitudes erradas, temos que ser confrontados com a verdade, pois esta, não somente liberta os endemoniados, mas igualmente os que seguem o Senhor Jesus à sua maneira.

Amigo leitor, não se irrite com a verdade! É o único meio capaz de o livrar do engano dos seus sentimentos.

Aparentemente, a verdade acusa; condena. Mas é esta que nos incita a demonstrar, se queremos a Verdade como ela é… Se queremos Jesus! Ou, por outro lado, se preferimos o mundo, com as suas ilusões e prazeres.
A verdade separa quem quer ser “bode” ou “ovelha”.

Com você age com a verdade?

Com medo ou com ousadia?

Se for com medo, é porque não aceitou a verdade pura, pois o seu temor deve-se ao ferimento que esta causou. Aí vem a covardia e a fé fica neutralizada.

Se for com ousadia, é porque aceitou a verdade, e amou… Provou com a sua própria atitude, agredindo, diretamente, a ilusão que o pretendia dominar.

Com isto, separam-se os ousados dos tímidos.
Separam-se os verdadeiros dos falsos.

Na verdade, ambos sentem-se afrontados, mas os que aceitam Jesus publicamente, também têm a capacidade de enfrentar a sua própria vergonha – ou porque não dizer: culpa – para se arrepender e mudar a sua história.