Saia da sua “terra” e caminhe…

Andreia Petrucci

  • 29
  • Jun
  • 2015

Saia da sua “terra” e caminhe…

  • 29
  • Jun
  • 2015

“Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção.” (Gn.12:1,2)

Talvez você não saia da sua “terra” ou da sua “casa” literalmente, como foi o caso de Abraão. Mas muitas vezes, aquilo que Deus lhe pede, é que veja além, que saia dessa área que você mesma criou como uma defesa, acumulando, através dos problemas, todo o tipo de sentimentos que neutralizam a sua fé.

Note que era importante Abraão desligar-se incondicionalmente, de tudo aquilo que o impedisse de enxergar além.

Muitas vezes você como mãe, pai ou educador, não consegue enxergar a solução do seu problema, justamente porque tem vivido em função dos sentimentos que os problemas atraem. “Mas como?!”, perguntará você… “Como, se eu convivo diariamente com o meu filho viciado, com a minha filha envolvida com más companhias? De que forma me poderei desligar dos problemas da minha família, se todos os dias me deparo com os mesmos?!”

Caminhando em direção ao Altar! Esse caminho por vezes pode revelar-se solitário, porque é resultado de uma fé Única, mas é a única forma de alcançar o impossível; aquilo que por intermédio da força do seu braço, até hoje não conseguiu realizar.

Queridos pais, ninguém ama mais os seus filhos do que vocês, mas mais do que amá-los porque os gerou e quer vê-los bem-sucedidos, deve amá-los ao ponto de sacrificar em seu favor! A nossa capacidade humana é limitada, mas aliados com Deus, tornamo-nos imbatíveis!

Talvez já tenha feito de tudo:

  • Criou;
  • Educou;
  • Sacrificou pelo bem-estar;
  • Proveu estudos e qualidade de vida;
  • Acompanhou ao médico, aos tratamentos;
  • Tem estado lado a lado nos piores momentos…

Se de facto isso lhe trouxe uma resposta desejada, significa que os seus esforços valeram a pena.

Agora, digo-lhe: Se mesmo com todo o sacrifício humanamente possível, ainda assim não obteve as respostas que precisa; se esgotou todas as suas energias e mesmo assim não encontrou a solução, então a sua resposta está no Altar! E este exige que saia da “terra” onde se encontra, para se aliar ao Único que tem o poder de transformar os seus familiares.

A primeira vez que entendi o que era sacrificar para Deus, também soube que tinha em primeiro lugar que me desligar do rastro de destruição que o diabo deixara: A tristeza, a amargura, a dor do abandono… Continuei em casa, e com a minha família, mas a minha fé no Altar elevou-me a outra “dimensão”, que me fez enxergar além. E quando mais sacrificava, mais “longe” ficava dos problemas, porque já não estava focada nos mesmos! Deus dava-me forças para enxergar além, até que, um por um, se foram resolvendo.

Ter os olhos fitos no Altar, sacrificando a nível físico, espiritual e material, faz-nos sair do “território” que conhecemos, para uma nova vida, repleta de novidade e bênçãos sem medida.

Conte-nos as suas experiências no Altar na área familiar, ou o que deseja alcançar nesta caminhada que já iniciou rumo ao Altar.

Até à próxima. Na fé!