Quarentena – 9º dia

Viviane Freitas

  • 27
  • Dez
  • 2012

Quarentena – 9º dia

  • 27
  • Dez
  • 2012



“No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado da parte de Deus, para uma cidade da Galileia, chamada Nazaré,
a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria.”
(Lc.26,27)

O anjo foi até uma virgem, que não se revelara apenas pura de corpo, por não haver coabitado com homem algum, mas que se salientava pela sua pureza interna… Não tinha maus olhos; não se permitira corromper por quaisquer circunstâncias.

Estamos em uma época em que a internet e as novas tecnologias, usadas de forma descontrolada, permitiram que a sociedade se deteriorasse, atingindo a Família, corrompendo, assim, os bons hábitos e costumes.

Muitas pessoas, desta forma, permitiram-se influenciar e, até mesmo, desvirtuar, por maus testemunhos de pessoas supostamente cristãs, mas cujos princípios estão igualmente corrompidos.

Têm permitido que as circunstâncias ditem as normas da sua fé.

Não vivem de acordo com o que está escrito na Palavra de Deus, mas consoante os costumes e situações externas.

E, a partir do momento que se começa a ver com maus olhos, perde-se a pureza… a virgindade, e “abraça-se” a malícia.

Não fora apenas a virgindade física de Maria que chamara a atenção de Deus, mas acima de tudo, a sua pureza interior. Ela não se permitiu contaminar…

Mas são muitos os que se permitem influenciar pelas circunstâncias e pelas vozes do mundo, para desfazer a sua pureza inicial. E é disto que temos de nos salvaguardar… de tudo o que nos pretende contaminar.

O que é mais importante?

Deus… ou as pessoas que estão ao seu redor?

Se os demais não agem de acordo com a fé verdadeira, isso é motivo para eu deixar de ser “virgem” e pura? Não!

Mas muitos usam deste refúgio, para justificar o seu fracasso. Fazem disto o seu “bode expiatório”.

O nosso insucesso é fruto do que nutrimos interiormente.

É muito importante eu ver como eu sou… Assumir a minha postura, como “alma”, com defeitos e falhas. Se assim for, compreenderei, igualmente, porque motivo as outras pessoas erram; não compreendem ou agem de determinada forma…

Se em mim, eu não encontrei perfeição, não é correto impor perfeição aos demais.

É importante avaliarmos:

Normalmente, a mulher compara-se…

Fruto desta comparação, ou sente-se inferior ou julga. E isto, nada mais é, do que o reflexo de um problema na sua vida com Deus.

Porque se houvesse comparação com o que está escrito, priorizaria a Deus, mas como dá prioridade às pessoas, acaba por perder… Isto é puro egoísmo, pois nem se enxerga como uma pessoa errada.

Maria estava em Nazaré, num local simples…

Muitas pessoas anseiam estar em um lugar “alto”; habitar em palácios, mas o que Deus verdadeiramente procura, são aqueles que resguardam a sua virgindade espiritual.

Assim como a pureza do corpo físico, se conserva por intermédio de sacrifício e negação dos desejos carnais, assim também é em relação à nossa vida espiritual…

Somos colocados à prova; também passamos por momentos difíceis; pensamentos negativos ou maus olhos; a dúvida e insegurança, etc. Mas, quando guardamos a nossa “virgindade” não há o que nos atinja!

Guardamos com “unhas e dentes” a salvação; com todo o temor.

O que vai diferenciar, é exatamente quem eu priorizo: Deus, as minhas vontades ou as pessoas?

Nós temos o domínio; o livre arbítrio, justamente para decidir! E aqui reside a diferença: Somos nós que decidimos o que queremos.

E o que plantamos, sem dúvida, colheremos!

Em quem Deus vai investir, como fez com Maria?

Naqueles que negam a sua vontade; ainda que aparentemente “percam” para o mundo, “ganham” para Deus e chamam a Sua atenção.

Pese e avalie: O que tem priorizado? Tem-se mantido “virgem” num mundo onde o príncipe é o diabo? Onde tudo a faz pecar e é contrário à fé…

Aqui se destacam os que se fazem Escolhidos!