Quarentena – 7º dia

Viviane Freitas

  • 25
  • Dez
  • 2012

Quarentena – 7º dia

  • 25
  • Dez
  • 2012



“A Palavra de Deus diz-nos o nosso valor, e ensina-nos, também, a nos valorizarmos.”
Viviane Freitas

“O povo estava esperando a Zacarias e admirava-se de que tanto se demorasse no santuário.
Mas, saindo ele, não lhes podia falar; então, entenderam que tivera uma visão no santuário. E expressava-se por acenos e permanecia mudo.
Sucedeu que, terminados os dias do seu ministério, voltou para casa.” (Lc.1:21-23)

Enquanto Zacarias estava no interior do Santuário, o povo, expectante, aguardava no lado de fora. E eles não apenas admiravam o sacerdote, mas revelavam também a sua preocupação…

Todos aqueles que crêem em Jesus e sacrificam as suas vidas, são os sacerdotes, e as pessoas que estão ao nosso redor, que representam o povo, ficam igualmente na expectativa de uma resposta; de uma palavra, de uma atitude diferente…

Mas, quando Zacarias saiu… apenas permaneceu mudo.

Quando, à semelhança do anjo enviado por Deus, se descredibiliza a Palavra, o que acontece é o silêncio total, e nem por acenos será entendido…

Pela existência da dúvida, ficamos “mudos” até perante dificuldades para as quais teríamos respostas.

Por exemplo, quem guarda mágoa, acaba por criar uma má consciência que não lhe permite falar com liberdade e ousadia. Porquê? Porque reserva maus sentimentos e, ao invés de combatê-los, continua a alimentá-los pela falta de prática da fé inteligente.

Deus poderia ter banido, totalmente, a bênção de Zacarias, negando-lhe o resultado da promessa. Mas não o fez. E porquê?

Porque ele expôs a sua dúvida a Deus; revelou o seu íntimo…

Quando participa a Deus os seus problemas, Ele torna-se paciente consigo! Ele espera o seu tempo, para que entenda…

Zacarias tinha uma cobrança muito grande por parte do povo, por ser sacerdote, mas, ainda assim, teve que pagar o preço… E não porque Deus lhe desejava o mal. Mas, porque se ele continuasse a falar; a “tagarelar”, jamais teria parado para entender e aprender totalmente, com toda aquela situação.

Quando temos muito a falar, paramos muito pouco para pensar e analisar a nossa vida.

O próprio Deus permitiu a sua mudez para que olhasse para o seu interior.

“…terminados os dias de seu ministério, voltou para casa.”

Após a conversa com o anjo, se Zacarias fosse uma mulher, estaria com certeza ansiosa para chegar a casa, coabitar com o marido e, finalmente, ter o filho desejado, após tantos anos. Mas, o que sucedeu?

Zacarias teve de esperar cumprir-se o tempo do seu ministério naquele lugar.

Deus fala connosco em meio a esse tempo, concedido por Ele… É nestas alturas que podemos, de fato, parar; avaliar, analisar o nosso interior e, aí sim, colocar a fé inteligente em prática.

É assim que devemos comportar-nos perante as adversidades da vida…

As coisas nem sempre acontecem do nosso “jeito” e é precisamente daqui que nos advém a obediência.

Nós somos naturalmente indisciplinados, mas o Reino de Deus baseia-se na disciplina; cada coisa tem o seu tempo determinado…

Então, amiga, pense… aproveite cada dia da Quarentena, porque o tempo está a passar. O Ano Novo está a chegar. E então?!… Vai carregar a vida velha para 2013?

O que tem programado?

Aproveite para falar com Deus, e, quando o fizer, faça-o de forma racional!