Quarentena – 3º dia

Viviane Freitas

  • 19
  • Dez
  • 2012

Quarentena – 3º dia

  • 19
  • Dez
  • 2012


“Ora, aconteceu que, exercendo ele diante de Deus o sacerdócio na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte, segundo o costume sacerdotal, entrar no santuário do Senhor para queimar o incenso;
e, durante esse tempo, toda a multidão do povo permanecia da parte de fora, orando. E eis que lhe apareceu um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do incenso.
Vendo-o, Zacarias turbou-se, e apoderou-se dele o temor.
Disse-lhe, porém, o anjo: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, a quem darás o nome de João.” (Lc.1:8-13)

Naquela época, entrava-se uma vez ao ano no Santuário. E todas as demais pessoas, ficavam no lado de fora, à espera…

Zacarias foi sorteado dentre os sacerdotes, para ser o único, naquele ano, a entrar no Santuário.

Pergunto: Será que era, de fato, sorte… uma vez que o anjo se apresentou a Zacarias?! Não seria um plano de Deus?

Sim… Exatamente isto! Deus já conhecia Zacarias. Ele destacava-se perante os demais sacerdotes. Era justo, assim como também a sua esposa.

E o ser justo, é agir a fé!

Deus sabia que Zacarias estava ali por uma causa, e a causa de Zacarias era em favor do povo. Não era simplesmente uma dor pessoal, fruto do seu próprio egoísmo ou resultado das suas necessidades.

Até porque, se Zacarias estivesse ali por um interesse pessoal, e não com uma definição ou meta, Deus jamais lhe apareceria.

Mas do que trata esta definição?

Antes dele entrar no Santuário, já era definido na sua fé! Ele era um sacerdote e atendia às pessoas…
Quando cada uma delas, apresentava as suas ofertas, pela expiação de pecados e para suprimento das suas necessidades, Zacarias era movido por essa dor…

“Calava”, no interior, a própria dor… A fim de assumir a sua entrega incondicional a Deus, que independia de qualquer circunstância.

Ele não tinha filhos, pois a esposa era estéril…

Mas a partir do momento em que a pessoa se dispõe a crer em Deus, não pelo que Deus poderá fazer em seu favor, mas pelo que Ele significa na sua vida, torna-se, então, justa, para avaliar, “pesar” e “cortar” o mal pela raiz… Sendo impiedosa contra todos os sentimentos e egoísmo.

Por mais que soe injusto, um sacerdote não conseguir ter filhos, a verdade é que esse não era o sonho maior de Zacarias… O seu maior sonho era servir a Deus e transmitir vida às pessoas!

O desejo de ter um filho, jamais ofuscara a sua fé! Não deixou de exercer o sacerdócio por esse motivo, e sequer de servir e honrar a Deus.

Assim, pela sede de justiça, e o “grito” de ver o povo obter a resposta, provocou a vinda do anjo.

“…turbou-se, e apoderou-se dele o temor.”

Quando Deus “aparece” na vida de alguém, surge um temor. Não há como considerar uma “palavra maravilhosa” e, ainda assim, continuar com a mesma vida… Se não há temor, então não foi Deus Quem lhe revelou!

Quando Deus fala, não permanecemos impávidos, mas somos “agitados”; movidos em nosso interior, até que se cumpram as Suas promessas.

As pessoas que nos cercam, estão à espera do resultado da nossa fé!

Assim, quando não somos egoístas, além de obtermos o resultado do que pedimos, ainda conquistamos a realização do nosso maior sonho, à semelhança do que aconteceu com Zacarias!