Quarentena – 26º dia

Viviane Freitas

  • 21
  • Jan
  • 2013

Quarentena – 26º dia

  • 21
  • Jan
  • 2013

“Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão; homem este justo e piedoso que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor. Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a Lei ordenava,
Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque os meus olhos já viram a tua salvação a qual preparaste diante de todos os povos: luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel.
” (Lc.2:25-32)

Percebemos, em primeiro lugar, Deus referindo as caraterísticas de Simeão: Um homem justo e piedoso…

E o que significa piedoso?

É um amor compassivo; um respeito profundo pela dor do seu próximo.

Simeão possuía esta caraterística, mas não só… Ele esperava a consolação de Israel; o seu sonho era a salvação, o consolo, o alívio; ver o povo de Israel redimido.

“…e o Espírito Santo estava sobre ele.”

Naquela altura, as pessoas ainda não tinham a possibilidade de ser batizadas com o Espírito Santo, mas, ainda assim, o texto refere que o Espírito Santo estava sobre ele.

Este homem capta a minha atenção…. Porquê?

Porque existem muitas pessoas que não entendem o que é “ser justo”. Pensam que isto se refere ao “fazer tudo certinho”, aparentemente sem críticas ou acusações… Quando não é nada disto!

O “justo”, de acordo com a Palavra de Deus, “vive pela fé”…

Em outras palavras, o “justo” de Deus, mesmo não sendo perfeito, não vive pelo que sente.

Encontrará falhas e defeitos, mas é definido contra os mesmos, para os arrancar pela raiz! É definido. Por isso, a sua crença em Deus não se limita ao papel ou palavras, mas é algo real… E é isto que justifica cada um de nós.

Aqui também se destaca o papel do Espírito Santo: “Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor.”

Simeão era um homem comum; não era um sacerdote ou alguém “famoso”… um habitante de “palácios”, mas, ainda assim, o Espírito Santo lhe revelara, diretamente, a Sua vontade.

Interessante! Porque motivo o Espírito Santo encontra espaço em certas pessoas para Se revelar?

Porque, nele, havia uma sede de justiça; ele desejava ver a salvação do povo. Não era algo egoísta, que se limitava ao seu próprio “mundo”.

Pode observar… Normalmente, as mulheres, têm o seu próprio “mundo”: As responsabilidades; o trabalho; a casa, etc. E ficam tão envolvidas com os afazeres, que o Espírito Santo não encontra espaço para falar.

Isto, porque o que esperam, não se prende com a consolação de Deus e, muito menos, com a Sua salvação.

Não me interprete mal: Não está errado lutar por si própria, mas se prioriza os seus egoísmos, será sempre “infantil” na fé.

Simeão não sonhava apenas os seus sonhos, mas os sonhos de Deus.

E é isso que desperta a atenção nele: A paixão pelas almas; o amor genuíno; puro; sem interesse no seu próprio sucesso. Era algo que ultrapassava o habitual, pois, normalmente, as pessoas lutam apenas por si mesmas. Pensam: “Se a minha vida já é tão difícil, como lutar por outros?!”

Mas este homem desejava transmitir vida
às pessoas…

E foi isto que permitiu que “Movido pelo Espírito…” fosse ao templo!

Maria e José não comentaram nada acerca do nascimento do Senhor Jesus; de que forma havia sido gerado e por parte de Quem… Mas Simeão sabia, porque lho havia sido revelado, diretamente, pelo Espírito:

“Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque os meus olhos já viram a tua salvação a qual preparaste diante de todos os povos…”

Veja a atitude dele: Tomou nos braços o Senhor Jesus e louvou a Deus.

Em que momentos proferimos palavras de graça, que exaltam a Deus?

Quando encontramos respostas ao que procurávamos…

Louvamos naturalmente a Deus, quando percebemos que Ele nos responde e vemos a Sua salvação.

A boca fala do que está cheio o coração…

O que ele pronunciava naquele momento, era o resultado daquilo que, há muito tempo, “incendiava” no seu interior; era o sonho dele… a Salvação!

“…luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel…”

E esta luz, não é respeitante apenas a Simeão, ou aos povos antigos, mas está disponível também para todos nós.

A vinda do Senhor Jesus à Terra, foi uma Luz, para nos guiar; para revelar o que precisarmos… a cada dia.

Por isso, em espírito de oração, entre agora na presença de Deus, e fale com Ele. É o Único que tem a capacidade de nos salvar!