Orgulho Profundo

  • 20
  • Jun
  • 2011

Orgulho Profundo

  • 20
  • Jun
  • 2011

Estava analisando essa semana como “adquirimos” o orgulho. Ele vem como uma autodefesa. Aprendemos a usá-lo como nosso refúgio. Pensamos que ele nos compreende e nos defende.

Quanto mais sofremos, mais usamos essa arma contra nós mesmas. Aprendemos com nossos instintos, é uma defesa pessoal, argumentar sempre contra aquilo que nos atinge.

Quanto mais cedo sofremos na vida, mais experiências válidas para adquirirmos o orgulho e também para alimentá-lo. Se na infância ou na adolescência passamos por péssimos momentos, que nos torturam por dentro, mais defesas adquirimos.

Parece ser algo simples, e que não faz mal a ninguém, mas destrói. É capaz de fazer-nos fugir da realidade, sempre culpando outro alguém. O orgulho é confrontado por várias coisas: Enfrentar a verdade é umas delas. Perder é outro. Reconhecer. Aprender. Ouvir. Atender aos demais, etc…

Avaliemos cada passo ou atitude, porque ele é sagaz. Vem de dentro, daquilo que pensamos, sentimos e opinamos.

Mais vale vigiar do que ficar apenas orando.