Obreira que foge dos problemas…

Luisa Teixeira

  • 8
  • Ago
  • 2013

Obreira que foge dos problemas…

  • 8
  • Ago
  • 2013

Sempre trago aqui casos verídicos, situações que acontecem, no viver das obreiras, e que são comuns a muitas outras!

Não há intenção de expor seja quem for, mas sim de fazer com que entendam a vossa necessidade.

Afinal não estamos a lidar com objectos, ou com legumes, mas com vidas; com almas. Nós somos almas! E estes assuntos são sérios e envolvem a nossa salvação! Por esse motivo, não podemos tapar os olhos e ficar caladas.

Esta semana fui ao encontro de uma obreira que já observava há alguns dias, isto porque, raramente a vejo nas reuniões; somente aos Domingos pela manhã, o que me causou uma preocupação pelo seu estado.

Ao conversar com ela, vi que estava a enfrentar uma situação financeira muito delicada. No seu desabafo, ficou claro que não conseguia vislumbrar a saída para a sua situação, o que a faz ficar na retaguarda, e sem ânimo para trabalhar como obreira durante a semana.

Ela dizia-me que faz tudo por tudo, para não se aproximar do povo, porque não tem palavras para orientar as pessoas que vivem o mesmo problema que ela. Usou o velho termo de sempre: “O que vou dar se eu não tenho? Como vou ajudar esta pessoa, se estou a enfrentar o mesmo problema? Com que cara?!”

Olhei fixamente nos seus olhos e disse-lhe: “Sabes porque não consegues ajudar as pessoas, e dar-lhes a orientação certa?
Infelizmente, porque não estás no calor da batalha; porque não estás a guerrear contra esse problema com unhas e dentes, usando a tua fé e combatendo o bom combate. Antes, tens alimentado pensamentos de incapacidade… de que não és digna, de que não és exemplo. É por isso que o desânimo tem tomado conta da tua vida, limitando o teu desempenho na Obra de Deus. E, pior de tudo, é que ao invés de trazeres a solução, só se agigantam as dificuldades. Aí está a razão da tua fraqueza, da tua falta de coragem para ir junto do povo!”

Disse-lhe mais: “Pensas que não vais ter problemas, sendo obreira? Estás muito enganada! Problemas sempre vamos ter!”

Agora, o maior problema és tu mesma, que te deixas dominar pelas situações adversas e não assumes a tua fé. E tudo isso, porque não tens priorizado a tua vida espiritual, pois quando esta vem em primeiro, tudo o resto é uma consequência.

Obreira internauta, talvez este também seja o seu caso! Então, que fique bem claro que o único que tem “capacidade” de nos enfraquecer, é o pecado, porque mancha a consciência e, automaticamente, bloqueia a fé. Mas os problemas, esses, são necessários, pois os mesmos, provocam uma dependência de Deus, quando os encaramos como oportunidades.

Encerrei a nossa conversa, dizendo-lhe que a escolha era totalmente sua: Ou usava as armas espirituais, ou seria vencida e envergonhada pelos problemas. Essas armas não são apenas a oração e o jejum, mas primeiramente a sua vigilância à forma como reage perante as situações, pois a maior dificuldade é vencer o próprio eu!

E vocês, que acabaram de ler, o que pensam a respeito? Deixem o vosso comentário.

 

Siga-nos: http://www.facebook.com/obreiros.em.foco.europa