Obreira, que caminhos trilham os seus pés?

Luisa Teixeira

  • 26
  • Dez
  • 2013

Obreira, que caminhos trilham os seus pés?

  • 26
  • Dez
  • 2013

Provérbios 6:16-19

“Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos”.

Uma vez mais trazemos à tona, um assunto que é puro aborrecimento para Deus: Os pés que se apressam para o mal.

Analisemos o seguinte: Os pés não têm autonomia própria, ou seja, não andam sozinhos. Precisam de uma ordem dada pelo cérebro, o que significa que esses pés – que a Palavra de Deus menciona – são, na verdade, os caminhos que trilhamos, fruto de escolhas individuais e egocêntricas.

Repare que, tanto o apressar como o correr, revelam precipitação, ansiedade, o que denota falta de ponderação nas ações, e ainda por cima na direção do mal. Dá que pensar, não dá?

Afinal, quando é que me apresso a correr para o mal?

De salientar, que esse mal pode muito bem estar ligado à vontade própria, ao interesse pessoal. Já ouviu a expressão: “Não olha a meios para atingir os fins?” É aquela pessoa que faz tudo, até passa por cima do que for preciso, para alcançar uma boa imagem diante de todos.

Veja que pode até ser uma Obreira muito habilidosa, trabalhadora, rápida a fazer tudo o que lhe é solicitado, mas se os seus pés se apressam a correr para fazer o que é da sua vontade, só para ficar bem vista perante o pastor, então estará a aborrecer a Deus.

Verifique outras situações em que os pés se apressam a correr para o mal:

– Quando está a atender uma pessoa, sem dar-lhe a devida atenção. A pessoa está a falar-lhe dos seus problemas e você está com a cabeça em outro lugar, visando o seu próprio “umbigo”;
– Quando quer saber de algo que não é da sua competência, mas faz tudo para tentar descobrir o que se passa. Exemplo: Se alguma companheira está a conversar com o pastor, logo quer saber o motivo. Fica curiosa, ansiosa para saber tudo ao seu redor;
– Quando segue o seu caminho pela instrução da carne, e não pela Direção de Deus;
– Quando fica cansada por ficar tanto tempo dentro da igreja;
– Quando desvia o seu foco do altar, deixando o sacrifício diário de uma conduta justa.

Diante desse exemplos, acima mencionados, pergunto:

– Que caminhos trilham os seus pés espirituais?

Se porventura detectou em si esses “pés”, então comece, a partir de agora, a mudar de direção e fique atenta, para não cair nesse “piso escorregadio”, que é a sua própria vontade.

Deixe o seu comentário, pois ele é muito importante.

Um abraço,