Obreira escrava

Luisa Teixeira

  • 30
  • Abr
  • 2015

Obreira escrava

  • 30
  • Abr
  • 2015

Hoje gostaria de dividir com todas as obreiras um pouco da minha história bem resumida, só para que perceba algo muito profundo e sério.

Durante alguns anos da minha vida, sobretudo na minha adolescência, fui escrava dos vícios. Vivi aprisionada ao submundo das drogas, injetava heroína e cocaína. Tive de facto um passado marcado pelos complexos de inferioridade, pela timidez, e para fugir desses sentimentos, refugiei-me na droga. Foram anos de muita escravidão!

Quando cheguei à Igreja Universal, fui completamente livre dos vícios. Logo no primeiro dia a minha vida tomou outro rumo. Foi lindo o que Deus fez comigo… Ele libertou-me de toda a prisão da toxicodependência e passei a ser outra mulher. Um dia conto com mais detalhes o meu viver.

Mas onde pretendo chegar com o meu testemunho? Pois talvez diga: É maravilhosa a sua vida Luisa, no entanto, eu nunca passei por isso, e qual a ligação que tem comigo que já sou obreira e liberta?
Calma! Só preciso que entenda este raciocínio e pense comigo:
Deus libertou-me dos vicios e com certeza você também foi liberta de algo. Porém, existe algo do qual cumpre a nós mesmas nos libertarmos, através do uso da fé inteligente: O SENTIMENTO!

Não existe maior escravidão do que a escravidão dos sentimentos. Vivi escrava durante 6 anos das drogas, mas vivi muitos mais anos presa aos sentimentos, de orgulho (resistência), de carência de aceitação, entre outros, que são consequências desses, porque é uma bola de neve. Mesmo sendo obreira e até esposa de pastor, vi-me aprisionada a esses “malditos”, que fazem a vida da pessoa num inferno.

O artigo de hoje é para que analise bem essa realidade, pois os sentimentos vêm para todos, mas se você é dominada e controlada por eles, então é escrava e não livre!

Você é escrava quando:

  • Necessita da aprovação de terceiros;
  • É timida;
  • Resistente;
  • Quer tudo do seu jeito;
  • Serve para agradar a terceiros, etc,

A lista é grande. Por favor pense nisso e comece a usar a cabeça e não o seu coração. Quando os sentimentos vierem, pense o quanto é escrava e volte-se para Deus e para o seu objetivo. O seu objetivo não é agradar a Deus? Então contrarie a sua vontade e faça o que é justo! É justo quando ouço a Voz de Deus e a pratico e não a voz do meu eu!

Desculpe o tamanho do post de hoje, mas quero que aconteça na sua vida o que aconteceu na minha.

Gostaria de ler o seu comentário sobre o que escrevemos aqui.