Obreira e a Ceia

Luisa Teixeira

  • 29
  • Ago
  • 2013

Obreira e a Ceia

  • 29
  • Ago
  • 2013

Esta semana, uma esposa de pastor, minha companheira, sugeriu-me que escrevesse um post sobre a forma como as obreiras devem servir a Santa Ceia.


Pois infelizmente muitas, com o passar do tempo, e porque já é algo comum, deixam-se levar pela mesmice e preparam, servem e até participam de qualquer maneira, como se fosse um ritual.

No inicio, a obreira tinha a maior reverência quando pensava na Santa Ceia, cuidava da sua aparência, prendia com todo capricho o seu cabelo, tratava das unhas, usando um verniz (esmalte) singelo, maquilhava-se, preparava com carinho o seu uniforme, para que tudo fosse perfeito nesse dia especial. Aquela que preparava os elementos, fazia-o com muito cuidado e preocupação, era a primeira a chegar à igreja. Antes de preparar o pão e o sumo de uva, ela apresentava a Deus a sua vida. Em seguida lavava as mãos, colocava as luvas e a toca na cabeça, para que tudo fosse feito de forma higienizada. Havia brio, e muito temor, em tudo o que envolvia esse momento único e santo.

Hoje, este artigo pretende levar cada uma de nós a fazer uma introspecção, sobre a forma como temos visto a Santa Ceia. Será que é apenas mais uma tradição em nossa vida? Um costume? Talvez a sua resposta imediata seja: “Ah! Não…nem pensar…” Mas, por favor, pare e pense bem: O que significa para si a Santa Ceia?

Pois tanto a obreira que prepara, como a que serve, têm em suas mãos o corpo e o sangue de Cristo. É tão sério, tão profundo. Veja a responsabilidade que é servir a Ceia de Cristo. Por isso o rigor tem que ser elevado, no que toca à sua santificação e ao tipo de conversa que têm. Pois temos conhecimento que muitas, enquanto estão a preparar a Ceia, falam de assuntos que nada têm a ver com aquele momento. É necessário ter em conta, não só os detalhes físicos, mas principalmente o seu íntimo. Veja o que diz a palavra de Deus:

“Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor. Examine-se cada um a si mesmo e então coma do pão e beba do cálice. Pois quem come e bebe sem discernir o corpo do Senhor come e bebe para sua própria condenação.” (I Co.11:27-29)

Quando é que como do pão ou bebo do cálice do Senhor indignadamente?

– Quando a minha conduta está manchada pelo pecado, e já falei aqui várias vezes, que esse pecado passa pela religiosidade, pelo ranço da hipocrisia disfarçada, pelos pensamentos de auto suficiência e por aí adiante… Vale lembrar que não são aqueles pecados que estão à vista de todos, mas os que estão em oculto.

Amiga Obreira, veja bem a necessidade que temos de fazer um exame a nós mesmas, antes de preparar, servir e principalmente participar da Santa Ceia, pois podemos estar a caminho da própria condenação.

Deixo aqui um conselho a todas as Obreiras:

Quando for dia de Santa Ceia, faça tudo com muito empenho e cuide principalmente do seu interior. Também isso é uma oferta para o seu Deus.

Diga-me o que pensa deste artigo. O seu comentário é importante, pois revela o seu pensamento.

 

Siga-nos: http://www.facebook.com/obreiros.em.foco.europa