Obreira bem-aventurada!

Luisa Teixeira

  • 24
  • Abr
  • 2014

Obreira bem-aventurada!

  • 24
  • Abr
  • 2014

Mais uma vez perguntava a Deus, o que seria necessário escrever no post de hoje.


Desde manhã, até à noite, fiquei muito pensativa, em relação ao que mencionar neste artigo.

E o que Deus me mostrou, claramente, foi algo que, durante estes últimos dias, tenho refletido muito, que é sobre a humildade. Uma das características mais importantes, no ser humano, e ressaltada, em primeiro lugar, pelo próprio Senhor Jesus, quando anunciou as bem-aventuranças aos seus discípulos.

“Bem aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. – Mateus 5:3

Repare que, sem humildade, não há como entrar no reino dos céus. Isso é tão sério, e requer de cada um, uma reflexão profunda, em relação ao seu interior.

Há quem pense que ser humilde é estar sempre de cabeça reclinada, que é responder de forma baixinha, que é estar sempre a diminuir-se, ou então, que é aquela pessoa que tem uma aparência simplória, sem qualquer destaque. Mas se averiguarmos bem, quantas não são as pessoas que agem dessa forma, e que dentro de si, são resistentes, inflexíveis, e que nunca estão dispostas a mudar? São auto-suficientes e cheias de si mesmas. Foi por essa razão que Jesus disse, que felizes eram os humildes de espirito. E porquê felizes? Porque, na verdade, quando possuímos essa humildade, tornamo-nos aptos a enfrentar, seja o que for, pois temos a flexibilidade de mudar, e de aprender em todas e quaisquer circunstâncias da vida. Isso é felicidade!

Agora, as questões que se fazem são as seguintes:

– Tem executado a Obra do Seu Senhor com humildade? Recorde-se, a Obra de Deus começa, em primeiro lugar, dentro de si;
– Como tem sido o seu comportamento diante de algo que ouve a seu respeito? Com impulsividade e sem analisar o seu interior, pensando que já não precisa de mudar mais?
– Quando é chamada a atenção (ainda que seja “injustamente”) fica de cara fechada e com muita indignação?
– Vê-se mais capacitada do que a sua companheira de Obra?
– Quando não chamam o seu nome, ou quando não está em evidência, fica triste e esmorecida?
– Quando realiza algo com responsabilidade e afinco, tem necessidade de reconhecimento?
– Só fica realizada quando está em destaque?

Creio que seja necessário refletir sobre essas questões, e responder a essas perguntas, com transparência.

Se, eventualmente, vê que dentro de si existem vestígios de uma pessoa que não possuí humildade, então, trabalhe urgentemente nesse sentido, indo contra esse espírito anti-Cristo. E isso só é possível quando reconhece o seu estado, e quando se coloca à disposição de Deus. Aí sim, será uma Obreira Bem-aventurada!

Gostaria muito de saber se ficou claro para si, a respeito do que é ser humilde e o que entendeu. Não deixe de registar a sua opinião.