O Impacto das Palavras

Viviane Freitas

  • 22
  • Mar
  • 2011

O Impacto das Palavras

  • 22
  • Mar
  • 2011

O que poderia falar sobre palavras?

Eu, Vivi Freitas, tenho muito a falar sobre este assunto. Vejo, nesta jornada da minha vida, uma grande diferença entre palavras que fazem toda diferença na vida das pessoas, e aquelas que são vazias.

Vou explicar com detalhes, e vou tentar exprimir neste texto, a importância de fazer a diferença com nossas palavras.

Já atendi a várias pessoas, como também tenho várias amigas e amizades que são distintas. Cada uma tem a sua atitude e seu jeito.

Muitas amigas já me consolaram quando estava passando por uma situação difícil na minha vida. Outras se calaram, mas raríssimas foram as pessoas que um dia confrontaram-me com a verdade.

— As palavras que saem da nossa boca são justamente o que temos nutrido. —

Refletem a nossa pessoa, a nossa personalidade e também mostram se somos sinceras ou não.

Para muitos, o consolo só vem de uma maneira: que outros possam escutar e apoiar as nossas emoções. Para outros, se isolarem de tudo e de todos. Há variadas formas e sintomas de consolo.

Mas qual vai refletir o resultado? Qual vai fazer a diferença?

Certa vez, um homem da alta sociedade tinha perdido seu filho e estava de luto. Ele recebia várias visitas de vários amigos e familiares que o consolavam. Mas a tristeza seguia fazendo parte dele. A dor da perda era muito intensa. Um dia, um homem, a quem eu aprecio muito, veio até ele e perguntou : “Diga-me, tem como você trazer seu filho de volta?” O homem lhe disse : “Não!”. “Então o que adianta curtir esse sofrimento se não tem mais jeito?” O homem parou e lhe disse: “É verdade! Não tem como!” Então aquele homem, que fez esse pai pensar, lhe disse mais uma coisa: “O seu filho já está morto, mas você ainda vive. Agora viva a vida que tens!”

Muitas pessoas, recebem vários conselhos e continuam igual. Por quê? Porque ainda que tenha boas intenções e queiram ajudar, não se pode tirar emoção com emoção!

A única maneira de fazer a diferença é anular a emoção! Quando a pessoa pare e pensa : Qual o benefício que tenho tido nutrindo essas emoções? Só quando ela pare e pense, ela verá quão escrava tem sido daquelas emoções.

E consequentemente ficará indignada, porque perdeu seu tempo com algo que só trouxe tormento e dor!

É verdade que nosso coração sente, não somos extra-terrestres insensíveis! Porém, quando agimos normalmente, também a consequência se limitará ao “normal”. É óbvio!

Então, o que temos que ter em conta?

[bulletlist]

  • Sentiremos, porém não usaremos o que é natural, da nossa natureza, para querer o extraordinário.
  • Pare e pense: qual é o proveito de suas palavras ou emoção?
  • Certamente que consolo não é o que buscamos, mas sim a resposta. E a resposta vem quando raciocinamos e nos fazemos independentes de qualquer sentimento.

[/bulletlist]

 

Use a força que está dentro de você, tanto para trazer o impacto na sua própria vida, como também na vida dos demais!

Um abraço a todos