Mudanças almejadas

Viviane Freitas

  • 2
  • Dez
  • 2012

Mudanças almejadas

  • 2
  • Dez
  • 2012

Já revelou algo, e depois viu-se retroceder perante essas questões, que imaginava já ter vencido?

Como se sente? Frustrada, mentirosa, envergonhada, etc., pois parecia que estava a fazer o correto e, de repente, é como se estivesse a fazer tudo errado!

É como se as suas palavras tivessem perdido a credibilidade para si mesma…

Evoca a “fé” e diz: É agora! Mas, quando se dá conta, está novamente envolvida em sentimentos que um dia a assolaram.

Porque motivo isto acontece? Porque é que, em determinados momentos, nada daquilo que está a fazer parece funcionar?

Porque é que as culpas, por ter falhado mais uma vez, parecem “arrancar” as suas esperanças de uma mudança no seu interior?

Vou dizer-lhe o motivo: O seu espírito é fraco!

E como é que ele pode tornar-se forte? Quando você DECIDE, sem permitir que nenhuma outra opção faça parte ou questione esta decisão.

Quando pensa: Falhei mais uma vez… Será que nunca vou conseguir mudar?
Onde está a fé, neste momento? Nem aparece! Mas a dúvida e o medo de se decepcionar consigo, novamente, está bem presente e dominante.

Quem decidiu dar esta confiança à dúvida? Você! E porquê? Porque não decidiu CRER!

A dúvida faz perder o equilíbrio daquilo que já conquistou, ao ponto de não estabelecer, pois fica a desvalorizar-se.

Espera “sentir” as suas mudanças, e isto fá-la fracassar, pois quando os sentimentos vêm – e sempre virão – prefere confiar nas mentiras que lhe apresentam… Supõe que a Palavra de Deus pode não estar assim tão certa, e, desta forma, aquilo que Deus diz é desprezado.

Consegue entender a gravidade do problema?
Não crer, como dizem as Escrituras!

O que refere a Bíblia? Que você não é capaz? Que tem que ter medo? Que tem de ficar parada nos seus dilemas, e aceitá-los, pois, afinal, já tentou mudar tantas vezes e não conseguiu?

É isto que está escrito? Lógico que não!!!

Se deixar de sentir, e decidir crer, não como pensa, mas como dizem as Escrituras, nada pode ir contra isto, nem o inferno!

Como, e quando, vai decidir crer? A DECISÃO é sua, mas não se fique apenas pelo “querer crer”, pois apenas o querer, não funciona.

Não desista das suas mudanças, mesmo que ninguém mais acredite nelas.