Jejum pelo mais importante – 16º dia

Viviane Freitas

  • 8
  • Abr
  • 2013

Jejum pelo mais importante – 16º dia

  • 8
  • Abr
  • 2013


Espírito Santo – Vencer a si mesma

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” (Lc.4:18,19)

Você que me ouve neste instante, mesmo sendo batizada com o Espírito Santo, Ele respeita o seu livre arbítrio. Todos nós fomos dotadas com essa liberdade, para fazer a nossa opção.

Mas todos os batizados com o Espírito Santo, têm algo que “ferve” no seu interior; têm a mente de Cristo. Então, conseguem discernir entre o certo e o errado; conseguem perceber quando estão fracos e mudar essa situação. Uma vez que todo o nascido de Deus vence o mundo!

Temos o poder de vencer os obstáculos, mas também temos opção de aceitar os sentimentos que nos assolam, como a qualquer ser humano. E aqui ficará caraterizado o que priorizamos: A nossa vontade ou o temor a Deus.

Com a nossa decisão, fica claro que tipo de pessoa somos.

Perceba: O Espírito Santo que está sobre nós, veio para nos ungir e trazer libertação aos demais. Como? Vencendo, primeiramente, no nosso interior!

Carregamos, assim, essa certeza e transmitimos Espírito, pois a nossa vida tem testemunho da nossa fé.

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu…”

Deus nos ungiu, nos purificou, sendo que não somos perfeitas, para evangelizar os “pobres”. Os que estão na mesma situação que eu própria vivi!

Já escrevi vários artigos sobre a minha “pobreza” espiritual, mesmo sendo batizada com o Espírito Santo. Porque permitia que os sentimentos me dominassem! Mas venci esses sentimentos de pobreza, quando detetei, pensei e avaliei as minhas atitudes, e vi quão miserável me estava a permitir ficar. E a crença que eu tenho em Deus, não justificava a “miséria” que aceitava.

Isto fez-me tomar uma atitude, e quando o fiz, imediatamente, deixei de ser “pobre”. Da mesma forma que detetei o meu erro, e venci a mim própria, este mesmo Espírito de Deus – quando venço – é transmitido às pessoas.

Não há história, leitura bíblica; nada, que passe vida aos demais, a não ser o Espírito de Deus, que está a “funcionar” na minha vida!

Se Ele me trouxe liberdade, estou igualmente imbuída desse Espírito, para levar liberdade aos demais.

Na verdade, o que dizia, não o dizia diretamente para alguém específico, mas para um grupo de pessoas. Só que o Espírito existente nas nossas palavras; a vida, o poder e a unção, leva os demais a deixarem de serem pobres e cativos, mesmo tendo o Espírito Santo.

E como isto acontece? Pergunta. Exatamente porque a pessoa ainda não aprendeu a pensar. Como a exemplo da primeira Quarentena que tivemos em Portugal. Quando pensámos e avaliámos o nosso estado, naquele momento, percebemos o quanto era necessário mudar.

Já vencemos outras situações, mas em um determinado momento, sentimo-nos pobres, cativas e oprimidas. E não importa o que vencemos anteriormente, mas o que precisamos vencer agora!

Quando a pessoa é batizada, consegue ter a sensibilidade do que está errado, e sabendo como O ouvir, através da meditação na Palavra de Deus, corta aquele mal!

Esta pessoa tem poder de fazer uma revolução, que a acompanha, quando vence a si mesma. Porque, primeiro, acontece no seu interior. Desta forma, está apta a contagiar os demais.

“…para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.”

Muitas pessoas apregoam um ano que não é aceitável a Deus. Porque falam, mas não vencem a si próprias. Esse é o problema!

A pessoa que é batizada com o Espírito Santo tem por obrigação própria discernir que não está bem, mudar a situação e usar esse poder para vencer.

É hora de tomar posse da sua conquista – do Espírito Santo – e daquilo que Ele é para si!