Silvia Alvarenga

  • 1
  • Nov
  • 2010

Fugindo da Realidade

  • 1
  • Nov
  • 2010

Oba! Hoje é dia que vou na igreja. Graças a Deus!

Assim me vejo livre da minha família que vive me perturbando, dizendo que tenho que ser assim ou assado! Vou encontrar fulana ou ciclana… Depois da reunião vamos conversar bastante e falar do que está acontecendo comigo aqui em casa. Ela é a única que me compreende. Afinal, acho que vou chegar antes porque na realidade não suporto mais o que a minha mãe vive dizendo para mim!

Mas chegando lá, a única coisa que ela tem em mente é encontrar a amiga, ou talvez, quer ir para fugir das verdades que ela não quer encarar. -Lá na igreja ninguém vai ficar dizendo essas coisas que minha mãe me fala , (porque ninguém sabe o que ela é dentro de casa) .
Ela fala assim porque não gosta de cair na real. Tudo e todos tem que mudar. Até Deus tem que mudar a situação, mas ela… a vítima da história tem que ser compreendida.

Chega na igreja, entra no salão e a sua língua começa a coçar para falar com alguém que esteja ao seu lado, porque ela odeia a solidão ou o silêncio. Quando a amiga chega para sentar do lado dela, ela vibra.

Começam a falar de tudo e de todos mas quando elas dão por si, a voz está salientando por meio do salão como a única voz ouvida, porque todos os demais se levantaram e colocaram a mão no coração, pois o pastor entrou no altar para falar com Deus para assim apresentar a reunião que dará início.

Entretanto durante a primeira oração, não tem palavras. Suas mentes ainda estão tentando assimilar o que está acontecendo, como elas estavam falando sobre tudo antes, agora entrar na presença de Deus, não é assim tão fácil. A mente fica vagando por vários lugares, coisas que deixou de fazer, o que os outros estão pensando e etc…

Acabou a oração e ela não lembra de nada que foi falado e que disse porque na verdade não falou o que estava dentro dela, pois a sua mente escutava uma palavra solta do pastor aqui, outra vez os pensamentos dali e assim vai.

Durante a reunião nada fala com ela. Se fala, não tem coragem de tomar atitude porque tem que renunciar muita coisa. Naquele instante ela se frustra.

Não sabe o que falar com Deus diante de tantos problemas. Quer que Deus resolva tudo da maneira que ela quer, mas não quer tomar nenhum passo diante de Deus.

Conclusão, acabou a reunião mas não tirou poder de Deus para si.

Qual foi a meta dela desde do princípio?

Saiu de casa com a meta de :

Encontrar a amiga
Falar do problema para amiga
Conversar com a amiga
Ser respondida sem nenhuma participação.

No Fundo do seu coração ela tem um pensamento: “Deus é injusto comigo!”
Porque ela acha que o fato de vir a igreja vai mudar a vida dela, e não percebe que enquanto ela não tiver o propósito de vir, ouvir e agir nada vai mudar.