Fale mais alto

  • 7
  • Mai
  • 2011

Fale mais alto

  • 7
  • Mai
  • 2011

Um dia cedo, cheguei na igreja, estacionei o carro e coloquei minha bolsa no chão, para poder pegar todas as outras coisas que eu tinha que tirar do carro e levar para igreja.

Atravessei a rua, entrei na igreja e assim comecei com todos os afazeres, para depois participar da reunião.

Passou o dia, quando era já noite, após a reunião, lá vai eu procurar a minha bolsa: mas não a encontrei. Procurei por todos os lados, e não havia sinal dela. Comecei a me preocupar, mas nada.

Fui para casa… e chegando no meu quarto, dei um grito de guerra, não aguentava tanto tormento na minha cabeça . Parecia um inferno aquela preocupação, pois na minha bolsa havia cartão de crédito, minha identidade daquele país, documentos, um cheque assinado em branco e dinheiro.

Ao chegar nessa situação, não tinha a quem me lançar, senão Naquele que é o meu refúgio. Tive que falar mais alto do que todas as vozes que falavam na minha cabeça. Falei com Ele:

Deus, eu não sei como será feito, mas eu quero um anjo neste exato momento lá aonde está a minha bolsa, e não quero que ninguém toque em nada. Em nada! Não sei como o Senhor vai fazer, mas é responsabilidade do Senhor. E quero que essa bolsa chegue às minhas mãos intacta!

 

 

 

 

Passou um dia, e nada. Passado outro dia, um senhor foi na igreja à minha procura, e não me encontrou. Mas falou com um Pastor que queria falar comigo, porque achou algo meu. O Pastor me ligou e disse:

Senhora, um senhor quer falar apenas consigo, porque achou a sua bolsa.

 

 

Fiquei repleta de alegria. Deus ouviu o meu clamor! Deus teve compaixão de mim quando, mesmo desapercebida, deixei aquela bolsa no chão.

Mas a todos quanto o invocam Ele atende.

No dia seguinte, busquei a minha bolsa, que estava intacta.

Deus ama quando contamos com Ele. Mostramos assim uma dependência e uma crença.

A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.

Quando temos a luz, ainda que passamos por momentos de trevas, ela não prevalece sobre a nossa fé. Ela nos faz apegar-nos mais à luz, e assim brilharmos com a presença de Deus em nossas vidas.

O que você faz quando lhe sobrevêm as trevas? Foge ou enfrenta? Tem falado mais alto ou tem deixado a voz negativa gritar no seu ouvido?

Quem deixa as trevas prevalecerem é porque não aprendeu a contar com a Luz, ou não acredita muito que a Luz pode tudo. E com certeza, os seus companheiros são … as trevas!