De mãe para mãe: Organização, limites e correção

Viviane Freitas

  • 27
  • Mar
  • 2015

De mãe para mãe : Organização, limites e correção

  • 27
  • Mar
  • 2015

A primeira coisa que aprendi sobre o autismo foi que o meu filho precisava de organização. Ele tinha a necessidade de se sentir seguro e isso somente seria possível se ele soubesse o que aconteceria no seu dia.


Hoje, penso que toda a criança necessita de um dia organizado, com limites e horários para que ela possa crescer de uma forma saudável e respeitando, assim, o espaço de cada um na sociedade.

Se todo o ser humano necessita de limitações, regras a serem seguidas, instruções e direcionamento para não se perder, imagine uma criança?
Crescer sem tudo isto, o tornaria um jovem e possivelmente um adulto inconsequente, com o pensamento de que pode fazer tudo da forma e na hora que deseja, por não saber respeitar autoridades, não conseguir submeter-se a normas, … Ou seja, ele terá dificuldade em trabalhar em qualquer empresa, em seguir a Deus, em receber orientação, em construir uma família e em tudo o que desejar fazer. Porque para ele tudo estará sempre fora de ordem, e este erro começou lá atrás, numa infância desordenada e sem limites. Nada do que queremos para nossos filhos, certo?

Então, vamos começar desde já a mudar as nossas vidas, organizar para que possamos ensiná-los a organizarem-se também. Saiba que “a falta de organização, mostra falta de vida com Deus”!!

Tudo no Reino de Deus e na Sua obra tem ordem, e para fazermos parte dela devemos ser organizadas.

Então seguem algumas dicas de organização para si:

– Elabore um plano da sua semana antes dela começar, ou seja, anote na sua agenda tudo o que necessita de fazer, incluindo o horário para os seus filhos;
*Eu faço o mesmo e também tenho um quadro mensal na porta do meu frigorífico (‘geladeira’), onde marco os compromissos de toda a família, assim ninguém esquece e um lembra o outro.

– Levante-se um pouco mais cedo para cuidar de si, ler a Palavra de Deus e fazer a sua primeira oração enquanto todos ainda dormem. Creia, estes poucos minutos farão toda a diferença na sua vida e de toda a sua família, pois permitir-lhe-á evitar que tome atitudes erradas. E logo pela manhã todos em casa terão uma mãe tranquila e cheia do Espírito Santo, que os direcionará e os abençoará para iniciarem um dia de batalhas;

– Sempre que possível tenha refeições em família, onde todos se sentem à mesa, orem juntos e tenham esta comunhão;

– Aproveite o tempo em que os seus filhos estiverem na escola para fazer o seu trabalho e suas atividades, para que quando eles estiverem livres, possa dar atenção a eles;

– Separe apenas algumas obrigações diárias. E sim, é possível fazer tudo e ainda deixar um tempinho para si, para fazer algo que goste e te faça relaxar nem que seja uma vez por semana;

– Estar sempre atenta aos trabalhos da escola e em contacto com os professores para saber como está o seu filho nas aulas, comportamento em intervalos, etc.;
*Uma mãe atenta consegue instruir melhor e aconselhar antes que os problemas aconteçam.

– Supervisionar internet e telemóvel sempre!;

– Nunca tire a autoridade do seu marido diante dos seus filhos, ainda que ele esteja errado. Se for o caso de seu marido errar, depois a sós converse com ele e deixe que ele mesmo corrija o próprio erro. Ensine os seus filhos a respeitá-lo, porque se eles souberem respeitar o pai que conseguem ver, saberão respeitar a Deus Pai que não veem;

– Estabeleça um horário para todos estarem na cama a dormir. Assim sendo, terá um tempo todos os dias somente para si e o seu marido;

– No final do dia, é muito importante coloca-los para dormir, ler com eles um versículo, conversarem e meditarem juntos sobre o mesmo, orar e impor a sua mão sobre os seus filhos e abançoá-los. Deus deu-te esta autoridade e cabe a si exercê-la.

Agora, algumas dicas de organização para os seus filhos:

– Organizar a semana dele, onde deve constar no mínimo o horário de dormir, acordar e refeições;

– Após uma certa idade, cuidar de seu quarto;

– Ordem com horários e atividades, ou seja, primeiro as obrigações e depois a diversão;

– TV, jogos, “vídeo game” e internet sempre consigo atenta “a tudo o que ele estiver a ver e a fazer, sendo que por poucas vezes na semana e com duração no máximo de duas horas;
*O meu filho joga “vídeo game” somente 1 vez por semana e por 2 horas; na internet ele não “navega” sozinho, entra no site da escola para fazer trabalhos e assiste a vídeos infantis como a “Turminha da Fé” somente por duas horas e comigo de ouvidos atentos. Creio que todo o cuidado é pouco e não uso este tipo de “escape” para ocupar o Gabi para que eu possa fazer outras coisas que necessite.

– Atividade desportiva é sempre muito importante para o desenvolvimento infantil, pois no desporto para além de gastarem energias necessárias e não crescerem no sedentarismo, aprendem regras e a pensar em grupo, perdendo assim o individualismo. Muito bom se puder fazer pelo menos duas vezes por semana;

– A criança necessita de dias na escola, dias na Igreja e dia com os pais em família. Estes três convívios são a base para um crescimento saudável e devem estar na programação semanal deles;

– Brincar com os amiguinhos na rua ou no prédio sem os cuidados de um adulto, jamais!! As crianças não têm responsabilidade ou senso de perigo e muito menos condição para cuidarem de si mesmas, por isso com criança deve ser tratada e cuidada como tal;
*O meu filho brinca com os amiguinhos aqui em casa. Temos uma tarde na semana em que ele pode convidar o amigo que deseja para vir aqui, brincam sobre os meus cuidados e sempre aproveito para ensinar algo ao Gabi através das brincadeiras. Se possível levo-os ao campo de jogo ou até à piscina. E ele vai somente na casa de três amigos que eu conheço as famílias e tenho a certeza de que brincarão ali dentro sobre os cuidados da mãe.

– Perdas: desde cedo devem aprender que atitudes erradas geram danos sempre, mesmo sendo perdoados, sofrerão com os frutos maus daquele erro.

Estas são apenas algumas dicas , que usamos aqui em casa e muito nos ajudaram, mas não são regras ok?!

Talvez possa ter achado um exagero, mas se não colocar limites na vida do seu filho desde pequeno, a vida e o mal se encarregarão de fazer isso e pode ter a certeza, da pior forma!

E da mesma forma pergunto-lhe: “Se não existem regras e limites, como poderá existir correção?” Muitas mães me perguntam qual a forma correta de se corrigir um filho e eu respondo que: “A forma existe e está na palavra de Deus.”

Falaremos sobre isto na próxima semana … Mas para iniciar, devemos impor regras e limites para que possamos então corrigir quando houver a quebra de uma delas.

Os limites devem começar em casa e serem conversados e decididos entre os pais.

Espero ter ajudado, vemo-nos na semana que vem.