De mãe para mãe: A importância de um olhar …

Viviane Freitas

  • 27
  • Fev
  • 2015

De mãe para mãe : A importância de um olhar …

  • 27
  • Fev
  • 2015

Ainda se lembra de quando o seu filho nasceu?

Tente regressar no tempo … O primeiro dia em que os seus olhos cruzaram-se com os dele, ahhhh, que amor inexplicável!! Desde esse dia passou a estar atenta a ele, à espera de qualquer movimento novo. Qualquer brincadeira era realizada só para vê-lo sorrir e ouvir aquela deliciosa gargalhada. Mas quem se importaria com o que os outros estariam a pensar? Nada mais importava do que ver o seu bebé sorrir daquela forma, certo?

Com certeza que se lembra também do primeiro banho; do primeiro dia que gatinhou, que ficou de pé, deu o primeiro passo …, quão importante foi estar ali incentivando-o e chamando-o de braços abertos; bem como da primeira queda; e da primeira vez que ouviu ” mamã” … Aí então … Foi muito aplaudido e comemorado não é mesmo? Que emoção!

Deve lembrar de tudo isso e muito mais, porque os seus olhos estavam fixos nele, ele tinha 100% da sua atenção, contudo … “E agora?”

O seu filho cresceu e quais são as novidades dele que agora marcam? O que é que ele faz de “graça” como quando era bebé ou que dá aquela risada que chega a inchar o seu coração de tanta alegria?

Quantas são vezes que ele corre para os seus braços e neles encontra o abraço de amor e segurança como fazia quando pequeno?

Talvez não consiga responder a estas minhas perguntas! E neste momento ficou um vazio, que a faz questionar: “O que aconteceu nestes últimos anos? O que perdi?”

Querida mãe, creio que deixou de olhar para o seu filho e ele perdeu os seus olhos 🙁 . Aquilo que o fazia sentir-se tão importante, que dava coragem para desafiar-se a ficar de pé e andar era porque o olhava e o incentivava. E isso perdeu-se entao com o tempo.

Hoje, enquanto ele fala olha para o telefone, a TV ou para a comida que está a cozinhar. Os seus olhos não se cruzam mais com os dele e o seu filho sente-se perdido, indiferente e sem poder apoiar-se em alguém…

Quem o observa?

Costumam dizer que os filhos crescem e mudam, mas será que você como mãe também não mudou?

Procure os olhos do seu filho, faça com que ele se sinta observado, porque afinal quem não gosta de ser notado?

Quando ele vier até si, pare, se possível, o que estiver a fazer e olhe para os olhos dele, até pode ser por poucos segundos. Invista nessa simples atitude, mas valiosa e entenda que ele precisa disso!

Talvez seja essa a razão porque hoje tantos jovens passam por problemas e os pais nem se apercebem. E surge a seguinte questão: “Mas como os pais não viram? Se era tão óbvio?!”

Quando o seu filho olhar para si, que ele possa ver a Deus e que os seus olhos, mãe, sejam os mesmos que um dia o incentivaram a ficar de pé e a caminhar para os seus braços. E, hoje, que ele seja envolvido, fortalecido na fé e guiado a caminhar para os braços do Senhor Jesus.

Com carinho