De Filhos para Pais : “Só comigo!”

Andreia Petrucci

  • 23
  • Set
  • 2014

De Filhos para Pais : “Só comigo!”

  • 23
  • Set
  • 2014

Quem nunca ouviu esta expressão? Melhor… Quem nunca a disse?! Quem jamais o fez, que atire a primeira “pedra”.


No momento em que a minha estrutura familiar desabou, foi inevitável não pensar: “Só comigo acontecem estas coisas; todos os meus colegas têm uma família normal, com pai e mãe…”. Dentre tantas outras suposições, que quase sempre não correspondem à realidade, mas baseiam-se no (i)mediatismo dos sentimentos.

Esta predisposição de “vítima” acompanha-nos vida fora, se não permanecemos atentos. Mesmo fazendo de Deus o nosso guia, aprendendo e vivendo os benefícios da fé inteligente, as escolhas são sempre pessoais, pois o Espírito de Deus respeita o nosso livre arbítrio.

Então, quando as coisas não correm de acordo com o que pensamos ou achamos “merecer”; um companheiro recebe aquele elogio ou um colega a “promoção” desejada, logo vem à ideia: “Eu lutei tanto, sacrifiquei. Só comigo… Porque nada dá certo?!”

Infelizmente, a nossa tendência humana tem mais inclinação para reagir desta forma. E não seremos livres, enquanto não cuidarmos, deixando de alimentar o que contamina a nossa alma.

Ao conversar com uma senhora, esta semana, fez-me ainda mais, avaliar este assunto: Alguém, por engano, levou algo que lhe pertencia, mas que seria perfeitamente substituível. Situação desagradável, claro, mas que despoletou, de imediato, o que estava no seu interior: “Só comigo acontecem estas coisas…”.
Não precisaria de lhe explicar que aconteceu com, pelo menos, duas pessoas, anteriormente, mas a preocupação maior, foi ajudá-la a perceber que a sua expressão tinha um sentido mais profundo, do que aparentava.

Se, imediatamente, não avaliarmos as nossas reações, estas tornam-se como “cancro” na nossa vida, corroendo-nos interiormente. E, pior, passam a identificar quem somos.

Por isso, pais, mesmo quando os seus filhos se queixarem, dizendo que nenhum pai – ou mãe – é tão rígido quanto você; que todos os pais deixam sair à noite; que todos deixam usar qualquer tipo de roupa,.. Não se intimide! Só se pretender que os seus filhos se tornem iguais à maioria.

Já vivemos num mundo cruel e injusto. Agora imagine, se a permissividade reinar livre no seu interior, em sua vida, na sua casa e família?

O síndrome de “vitimização” não nos deve “amolecer” assim como não comove o coração de Deus, precisamente porque não se baseia na reta justiça – a Fé – mas em sentimentos enganadores e auto-destrutivos.

“Ora, não há nada mais enganoso e irremediável do que o coração humano, e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jr.17:9 – Bíblia King James atualizada)