Comparação e o Medo

Viviane Freitas

  • 21
  • Nov
  • 2012

Comparação e o Medo

  • 21
  • Nov
  • 2012

Sabe aquela pessoa que você aprecia muito? Ela está muito acima de si – mediante a sua conclusão espiritual – ou é mais talentosa!

Sabe… Quando se sente pequena demais, a ponto de não ser tão natural como gostaria de ser?

Sabe… Quando esta pessoa, que admira tanto, lhe dá responsabilidades ou algo para ser feito perante ela… Você acovarda-se… Dá-lhe um “branco”, a ponto de mostrar fraqueza, mesmo sabendo que poderia fazer?

Sabe… Mesmo amando tanto e se comparando com esta pessoa, você acaba por promover uma distância, como uma maneira mais fácil de lidar com a sua insegurança?

Engraçado… Você ama, mas distancia-se.
É surpreendente… Você aprecia, mas ignora.
É doloroso… Porque ama, mas rejeita.

E sabe porquê?

Surgem as sorrateiras invejas, que, sem perceber, carregam mais e mais sentimentos que a afastam. E, com um sentimento, vai emendando outro… Orgulho e Egoísmo.

E não parece por mal… Porque o faz, para se proteger contra aquela insistente insegurança e baixa auto-estima, no momento em que está próxima.

É engraçado… Parece que de longe é mais aceitável. De perto, é insuportável a guerra que trava dentro de si própria.

Porquê? Porque sinto isto?

O maior problema é depender de alguém. E a comparação faz-lhe isso. Fica dependente da aprovação da pessoa que tanto aprecia.

É como se invalidasse a sua personalidade – como uma capa – e a lançasse fora. É como se desprezasse a sua crença; a sua fé em Deus, para se basear inteiramente naquela pessoa que lhe traz direção e segurança.

É como sentir… Que a segurança é trazida pela afirmação daquela pessoa – que ama e aprecia – e Deus ficasse ali… de lado.

É realmente isso que acontece: Naquele momento de comparação…
Deus, a sua fé, a sua confiança, são lançados no lixo, para que outra possa conduzi-la.

Que horror! É horrível “trocar as bolas”!
Mas isso acontece porque estamos a sentir, e não na fé.

A fé faz-nos vigiar. O sentimento faz-nos comparar e esperar pelos demais.

Amiga leitora, eu tenho a mais absoluta certeza que se enquadra aqui, em uma ou outra situação. Mas eu quero pedir-lhe um favor…

PARE de se COMPARAR!

Seja você mesma! E não se lance fora…

Aceite quem você é, e prepare-se para a mudança, porque ninguém alcança grandes conquistas, sem desafios de mudança e aprendizagem.

Eu venci essas terríveis comparações. Hoje o que me resta é aprender a melhorar e não me intimidar para mostrar quem eu sou.

NÃO DEPENDA…

É outra coisa que te faz fraca e sentimental. Quando você aprende, motiva a sua auto-estima e traz à existência o espírito que foi criado em si: O Espírito da Criação.