Silvia Alvarenga

  • 9
  • Fev
  • 2010

Bonita o Vulgar

  • 9
  • Fev
  • 2010

O que é ser bonita e o que é ser vulgar?

A primeira coisa que indica e separa uma da outra, primeiramente é o exterior. O externo está ligado ao físico, a aparência, a postura e o comportamento.

Veja bem, cada característica acima é a imagem que vemos e recebemos de instante. E com certeza vai falar e definir quem somos para a outra pessoa.

Muitos pensam que não é necessário preocupar com sua imagem diante dos demais. Realmente em parte está certo, porém nem tudo convém.

Por quê?

Porque denigre, destrói e também passa a ter menos credibilidade.

Por quê você fala em parte não convém?

Porque tudo tem que haver um equilíbrio. Tudo!

Cada ser humano está aprendendo. Não nascemos conhecendo, discernindo ou acertando em tudo. Nós estaremos sempre em aprendizagem. Não importa quem somos ou quantos anos temos.

A beleza externa, como a maneira de se vestir vai mostrar a nossa escolha, a nossa criatividade e até mesmo o nosso gosto e jeito!

Todo famoso tem o seu estilista que controla tudo que ela veste e faz, para preservar a sua imagem do jeito que eles querem passar a sociedade.

Eu particularmente vejo muito importância essa beleza externa, mas muito mais é a interna. A interna é algo com muita qualidade porque não é comum. Assim como carro, existem marcas que nem conhecemos de nome porque seu valor não precisa ser divulgada, são somente para pessoas riquíssimas.

O valor de uma beleza interna é muito maior do que propriamente a externa. Por quê? Porque no nosso interior tem que ser trabalhado, com lágrimas e reconhecimento, com aprendizagem, com discernimento do que é certo e muito mais ainda.

A qualidade de um relógio, de um carro, de um computador está aonde? Justamente aonde ninguém vê e essa sobrepuja sobre todas.

Eu vejo a essência de uma beleza, na maneira dela vê a sí mesmo primeiro antes mesmo de reparar aos demais, ela concerta suas próprias falhas. Sendo assim fica sempre a melhor e que vai se aperfeiçoando.

Enquanto que a outra que fica reparando o que os outros deixam de fazer, ela perde o tempo de se aperfeiçoar e de avançar. Na verdade ela fica na dependência que a outra mude para ela se sentir completa.

Aprendi na vida que a beleza começa no nosso pensar e isso deixa a pessoa independente.

A beleza interior é a verdade que existe em cada um, a beleza externa é o espelho do que tem dentro.