21 dias de Jejum – 19º Dia

Viviane Freitas

  • 11
  • Out
  • 2013

21 dias de Jejum – 19º Dia

  • 11
  • Out
  • 2013

Dar vida ao invisível

Olá a todos. Estamos no 19º Dia do Jejum de Daniel.

Eu tenho aqui um comentário, da Rosana, feito no 16º Dia, que diz o seguinte:

“Só comecei a fazer o jejum de 21 Dias, hoje. Tenho estado enganada, mesmo dentro da Igreja. Já não quero viver de emoção no pecado; à minha maneira. O que devo fazer? Ando cheia de dúvida, culpada por causa dos erros e pecados. Tenho três dias. Será que chegam para me transformar e ser uma nova pessoa? Não quero que passe essa oportunidade.”

Rosana, a primeira coisa muito importante que está a fazer, é reconhecer a sua situação. Está consciente de quem tem sido até ao momento, perante o que tem ouvido. Mas não é motivo apenas para se sentir culpada, pois a culpa não nos faz agir a fé. Quando existe crença, não há culpa.

A outra forma de alimentar a culpa ou a dúvida, é quando está a viver no pecado e a alimentá-lo; quando olha para trás e ouve o diabo.

O quer você quer?

Quando age na fé inteligente decide o que quer, dá passos em direção ao que crê, e não se baseia naquilo que fez ou deixou de fazer. Isto é a fé inteligente. Não há nada de sentimento!

Não importa o tempo que passou na Igreja, ou quem seja.
Rosana, é a sua oportunidade!

O que mais Deus aprecia, é quando um pecador se arrepende dos seus pecados. Há festa no céu! Então, Rosana, essa culpa provém do diabo, ou porque está a viver no pecado, o que eu não acredito que seja, porque não deseja mais viver dessa forma.

E como pode dar um fim ao pecado e colocar um ponto final nos seus sentimentos? Quando raciocina e percebe o quão miserável tem sido até então. O que lhe tem acrescentado, e feito de bem, essa situação? Nada!

Então defina o que quer e submeta-se às palavras do Senhor Jesus.

“Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.” (Hb.11:3)

Veja bem, amiga, a fé permite-lhe entender, e não viver em dúvida. Compreender que o invisível pode tornar-se visível porque há uma crença, como refere o primeiro versículo de Hebreus, capítulo 11: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.”

Todo o ser humano está sujeito à dúvida, mas quando é que a nossa fé está em “alta”?
Quando nós estamos no Espírito. Quando definimos o que queremos ouvir, atentando para a voz de Deus. E essa voz transmite-nos certeza, fazendo-nos praticar aquilo que ouvimos.

A fé é a certeza de coisas que se esperam: Se eu faço um atendimento a uma pessoa e fico preocupada, então não agi na fé. Se dou conselhos, ou faça o que fizer, que me deixe preocupada ou ansiosa com o dia de amanhã, é porque não estou a agir de acordo com a fé inteligente.

A fé de que falamos fá-la depender de Deus e estar em sintonia com Ele. É este o tipo de fé que agrada a Deus.

Por exemplo, em um aconselhamento, ainda que a pessoa não esteja a entender, eu tenho a certeza do que lhe estou a dizer, e aquela certeza gera paz e alegria. De acordo com o versículo: “… a convicção de fatos que se não vêem.” E isto é maravilhoso!

Você que está no Jejum de Daniel, tenha esta certeza.

Compreendeu, Rosana? Lance-se naquilo que crê e jogue no “lixo” tudo o que a tem aprisionado e feito escrava, sejam sentimentos, pecados, erros… Lance fora, batize-se nas águas, e verá que a sua oportunidade não passará!

Até amanhã, aqui no nosso Blog