126 – 60º Dia | Ser O Testemunho

Viviane Freitas

  • 24
  • Mar
  • 2017

126 – 60º Dia | Ser O Testemunho

  • 24
  • Mar
  • 2017

24 de Março | Sexta | João 16.5-7

E agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?
Antes, porque isto vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza.
Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.

O que deve fazer antes de ouvir o audio? Clique aqui.

Olá a todos os internautas.

Já estamos há 60 Dias aqui, meditando na Palavra de Deus, e tem sido maravilhoso.

E porquê maravilhoso?

Porque os nossos pensamentos, as nossas palavras, as nossas conversas, são acerca das coisas de Deus, quando as priorizamos. Então, veja a importância de você estar meditando.

Se você não tem condições de meditar logo cedo, pela manhã, mas o faz à tarde ou à noite, que seja de qualidade o tempo que investe, para que possa refletir e perceber a si própria.

Acompanhe comigo no Livro de João, capítulo 16, versículo 5:

“E agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?
Antes, porque isto vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza.
Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.”

Veja aqui a importância da pessoa ter o Espírito Santo.

Para além disso, eu quero chamar a sua atenção para a forma como o Senhor Jesus lida com as nossas emoções. Ele não nos responde por intermédio das mesmas, mas diz: “Eu já lhes disse que vou para o Pai, e vocês ficaram tristes por conta dessa notícia. Mas me convém que eu vá para o Pai, para que então venha o Consolador até vós…”.

E porque motivo o Senhor Jesus teve que ir para o Pai, para que o Espírito Santo viesse?

Eu quero que você preste bem atenção, pois isto é super importante:

O Senhor Jesus apresentou Quem era o Pai; mostrou a figura do Pai através do Seu comportamento e das Suas Obras, como os milagres. Revelou Quem Ele era em relação ao Pai e também em relação às outras pessoas; como Ele lidava com as situações.
E os discípulos estavam presenciando tudo isto, e claro, tiravam muitas lições. Embora não tivessem o Espírito Santo, estavam observando, e a conduta do Senhor Jesus “falava” com eles. Tanto “falava”, que eles precisavam da presença, da orientação, da instrução que o Senhor Jesus lhes dava, pois não provinha de um ser normal, mas sublime, divino. Ele orientava de forma que ninguém havia orientado antes.

E é isso que encontramos na Palavra de Deus: Quando vamos à Igreja, somos orientadas, atendidas, disciplinadas, enfim… sentimos esse carinho, essa proteção, essa segurança e amor.

E os discípulos sentiam isso… Assim, eles não queriam que Jesus fosse embora, porque era o seu refúgio, segurança… era tudo para eles. E quando o Senhor Jesus falou, obviamente que eles ficaram tristes, pois não concebiam na sua mente o que viria adiante. E Jesus sabia que eles não conseguiam visualizar isso.

Mas mesmo eles estando tristes, quando Jesus disse que iria para o Pai, veja o que Ele disse: “…Todavia digo-vos a verdade…”. Está vendo aqui? Não importa a sua emoção, pois esta não a ajuda a pensar: “Se você entender o plano que eu tenho para você, é bem melhor! Então não fique nas emoções…”. Foi o que o Senhor Jesus lhes transmitiu, por outras palavras.

“Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós…”

O Espírito Santo não iria até eles, pois não sentiriam necessidade Dele, uma vez que Jesus estava ali… Era uma necessidade que eles tinham, de estar perto da “figura” do Senhor Jesus, porque eles não tinham o Espírito Santo dentro deles; não tinham o Senhor Jesus no seu interior, mas apenas O tinham do lado de fora.

E quando começamos a nossa jornada com Deus, na fé, começamos com Jesus do lado de fora, sentimos essa necessidade Dele. E aqui entra quando estamos sós e não temos aquele “respaldo” da obreira, da esposa, do pastor, etc.; quando não temos mais ninguém por nós, aqui entra a necessidade de ter o mesmo que o pastor, a esposa têm… a força que não vem de um ser humano natural, mas de Deus. Aqui, então, entra a necessidade de receber o Espírito Santo, e não porque a Igreja inteira está fazendo jejum ou todos estão falando do mesmo, não…! Mas porque você não quer mais viver rendida às suas fraquezas. Você quer raciocinar, quer agradar a Deus, e não basta apenas viver um momento com Deus, mas ter toda a sua vida em sintonia com Ele.

E aqui entra a necessidade de receber o Espírito Santo.

Mas há muitas pessoas que até O buscam, não porque tenham essa necessidade ou se deram conta que precisam, mas porque todos estão falando. Então O buscam unicamente por isso…

E não é assim! Todos nós devemos ter esta necessidade, mesmo já sendo batizados com o Espírito Santo; todos precisamos desenvolver a necessidade de ouvir a voz de Deus, porque se esta não existe, nós não nos aproximamos de Deus, mas ficamos na dependência de outros e na expetativa da direção dos demais.

Mas quando estamos sozinhas e temos que resolver a situação, encontramos um jeito! E aqui entra a nossa ação em buscar este Deus; aqui entra o desenvolvimento da nossa salvação, da nossa comunhão e relacionamento com Deus.

“…porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.”

Ele virá! O Senhor Jesus enviou e envia o Espírito Santo para aqueles que têm necessidade.

Perguntará você: “E eu, que já sou batizada com o Espírito Santo?!”

Nós, que somos batizadas com o Espírito Santo, também temos que ter esta necessidade, pois quando esta existe, há um desenvolvimento na nossa vida, no nosso relacionamento com Deus.
Já não vamos agir da mesma forma que agíamos quando iniciámos na fé ou no momento em que fomos batizadas com o Espírito Santo.

Quando eu olho para a minha vida, desde o dia em que fui batizada com o Espírito Santo, para hoje, está bem melhor! Porque, durante este tempo, eu descobri que necessitava. Porque quando O recebi, recebi um poder divino, e eu imaginava que não existiriam problemas na minha vida que eu não pudesse solucionar… e realmente é assim, mas eu teria que exercitar a fé, teria que me aproximar de Deus, assim como eu fiz para receber o Espírito Santo. Da mesma forma, eu e você temos esta necessidade e a meditação, a oração, a nossa decisão e a definição da nossa fé, revelam se realmente Ele está em primeiro lugar na nossa vida ou no “final da fila”.

Amiga internauta, foi um prazer falar com você. Agora é a sua parte, de falar com Deus e de reparar quem realmente você é com Deus e como é o seu relacionamento com Ele.

Um grande abraço e até segunda-feira.

Série: Ser o Testemunho